Polícia inviabiliza manifestação pacífica em Bissau

RFI (Bissau, 24 de Julho de 2017) – inconformados de concretizar a manifestação pacífica de protesto que pretendia levar a cabo no sábado em Bissau.

A ativista Nelvina Barreto, da organização Mindjeres di Guiné Nô Lanta, que integra o MCCI, contou à imprensa que “a manifestação foi desconvocada, porque recebemos informações de que teriam sido dadas instruções para agredirem os principais promotores da marcha. (Então), por uma questão de prudência, decidimos desconvocar a marcha”, referiu.

40 por cento do programa escolar ficou por cumprir no setor público – Associação de pais

Lusa (Bissau, 24 de Julho de 2017) – O presidente da Associação de Pais e Encarregados de Educação dos alunos da Guiné-Bissau, Armando Correia Landim, afirmou que «40% do programa escolar ficou por cumprir este ano letivo devido às greves dos professores».

Trabalhadores do Porto de Bissau contra privatização

RFI (Bissau, 24 de Julho de 2017) – O Sindicato dos Trabalhadores do Porto de Bissau opõem-se à privatização desta infrastrutura anunciada em meados de julho pelo ministro dos Transportes e Comunicações, Fidélis Forbs que, na altura, referiu que uma empresa francesa e outra filipina estavam interessadas, tendo garantido que a empresa escolhida deveria pagar a dívida de 5,9 milhões de euros à portuguesa Tertir que geriu o porto entre 1992 e 1999.

UNTG ameaça convocar nova paralisação  para exigir cumprimento de memorando de 2016 

ANG (Bissau, 24 de Julho de 2017) – A União Nacional dos Trabalhadores da Guiné-Bissau (UNTG) admite a possibilidade de avançar com uma greve nos próximos dias 8 a 10 de agosto, para exigir o cumprimento de um memorando assinado pelas partes em dezembro de 2016, que inclui a aplicação de uma nova tabela salarial a partir deste mês de julho.

Antigo MNE nomeado novo representante permanente da Guiné-Bissau na ONU

Lusa (Bissau, 24 de Julho de 2017) – O antigo ministro dos Negócios Estrangeiros, Fernando Delfim da Silva, foi na sexta-feira nomeado novo representante permanente da Guiné-Bissau nas Nações Unidas, refere decreto presidencial citado nesse dia pela agência Lusa.

Guiné-Bissau organiza próximo congresso da Educação Ambiental da CPLP

Lusa (Bissau, 21 de Julho de 2017) A Guiné-Bissau foi eleita hoje país organizador do V Congresso de Educação Ambiental dos Países da Comunidade de Língua Portuguesa (CPLP), a realizar em 2019.

A decisão foi tomada no IV Congresso de Educação Ambiental, cujos trabalhos terminam hoje na ilha do Príncipe.

Novas eleições não vão resolver problema da Guiné-Bissau – Secretária executiva da CPLP

Lusa (Brasília, 20 de Julho de 2017) – A secretária executiva da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), Maria do Carmo Silveira, afirmou que a Guiné-Bissau permanece dividida e nem a realização de novas eleições vai resolver o impasse político do país.

“A situação na Guiné-Bissau é muito complicada. É um país que infelizmente vive uma situação de crise política que se arrasta há muitos anos, que não se resolveu com eleições. Fica sempre esta dúvida, mas a situação é de tal forma complexa que só os guineenses podem encontrar uma saída”, disse em entrevista à Lusa.

Não objeção de Angola permite ao FMI libertar apoio de 3,5 M€ à Guiné-Bissau

Lusa (Luanda, 20 de Julho de 2017) – Angola não apresentou qualquer objeção à revisão do programa do Fundo Monetário Internacional (FMI) na Guiné-Bissau e à libertação de um apoio financeiro de 3,5 milhões de euros, apesar de ser um dos principais credores do Estado guineense.

De acordo com um documento governamental a que a Lusa teve ontem acesso, a Guiné-Bissau contraiu com o Estado angolano “várias dívidas no âmbito de alguns protocolos financeiros desde 1978 que estão avaliadas em 45 milhões de dólares (39 milhões de euros)”, tendo solicitado, entretanto, o apoio do FMI para fazer face à crise económica que atravessa.

Renegociação do acordo para a Comunicação Social entre Guiné-Bissau e Portugal

DW África (Bissau, 20 de Julho de 2017) – Umaro Sissoco Embaló acaba de passar por Lisboa, em visita privada, com uma agenda oficiosa discreta, que terá incluído o polémico acordo bilateral estabelecido com Portugal no domínio da comunicação social.

O Governo de Umaro Sissoco Embaló, que fez uma curta escala por Lisboa esta semana, não vai pactuar com ilegalidades e propõe rever todos os acordos de cooperação com parceiros bilaterais e multilaterais que não beneficiem a Guiné-Bissau, de acordo com declarações de Fernando Vaz, ministro do Turismo e Artesanato, à DW África.

Estado gasta seis milhões de euros/mês em salários com funcionários

Lusa (Bissau, 18 de Julho de 2017) – A Guiné-Bissau gasta mensalmente seis milhões de euros em pagamentos de salários aos cerca de 32.000 funcionários públicos existentes no país, disse hoje à agência Lusa o ministro das Finanças, João Fadiá.

«Nós gastamos neste momento, por causa dos professores que subiram para cerca de 12 mil, 4,1 mil milhões de francos cfa», afirmou o ministro.

Estado da Guiné-Bissau é suportado com receitas provenientes das alfândegas e impostos

Lusa (Bissau, 18 de Julho de 2017) – O Estado da Guiné-Bissau tem funcionado com receitas geradas internamente e provenientes das alfândegas e dos impostos, disse o ministro das Finanças guineense, João Fadiá.

O que nos tem permitido funcionar são exclusivamente as receitas geradas internamente a nível das alfândegas e a nível dos impostos”, afirmou o ministro à agência .

Diretora-geral da CPLP manifesta-se preocupada com impasse na Guiné-Bissau

Lusa (Bissau, 18 de Julho de 2017) – A diretora-geral da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), Georgina Benrós de Mello, disse à Lusa que está pessoalmente preocupada com o impasse político na Guiné-Bissau, um dos nove Estados-membros do bloco lusófono.

UA apela ao diálogo e ao cumprimento do Acordo de Conacri

Lusa (Bissau, 18 de Julho de 2017) – O Conselho de Paz e Segurança da União Africana (UA) reiterou a sua “profunda preocupação” com o impasse político na Guiné-Bissau e apelou ao diálogo e ao cumprimento do Acordo de Conacri para ultrapassar os desafios que o país enfrenta.

Esta preocupação está expressa no comunicado emitido após a reunião do Conselho de Paz e Segurança da organização sobre a Guiné-Bissau, decorrida a 11 deste mês, e presenciada pelo primeiro-ministro, Umaro Sissoco Embaló e pelo representante da UA em Bissau, Ovídeo Pequeno.

Guiné-Bissau critica “deselegância” da euroAtlantic Airways por informar através da imprensa

Lusa (Bissau, 18 de Julho de 2017) – A Agência da Aviação Civil (AAC) da Guiné-Bissau afirmou ontem que registou, com “desagrado”, a “deselegância” de saber, através da imprensa, da decisão da euroAtlantic Airways, que suspende um dos dois voos semanais que realizava para Bissau.

Partido da Renovação Social (PRS), Guiné-Bissau

Comissão Política do PRS propõe Congresso de 26 à 29 de Setembro

Rádio Jovem (Bissau, 18 de Julho de 2017) – A Comissão Política do Partido da Renovação Social propõe hoje ao Conselho Nacional,  órgão deliberativo,  a marcação do 5°Congresso para os dias 26, 27, 28 e 29 de Setembro próximo,  anunciou esta tarde o Secretário Geral,  Florentino Mendes Pereira.

Governo lança consórcio para gerir cabo submarino de fibra ótica

LUSA (Bissau,17 de Julho de 2017) – O Governo da Guiné-Bissau lançou hoje o consórcio que vai gerir o cabo submarino que vai trazer Internet de «melhor qualidade» ao país dentro de 18 meses, mas os trabalhadores da Guiné Telecom criticaram a iniciativa.

O consórcio designado Bissau Cabo, empresa que vai gerir o cabo submarino, é integrado pelas operadoras dos telemóveis móveis Orange (francesa) e MTN (sul-africana), com 51%, enquanto o Estado guineense detém os restantes 49%.

Capturadas 11 pirogas do Senegal na pesca ilegal nas águas da Guiné-Bissau

LUSA (Bissau,17 de Julho de 2017) – As autoridades da Guiné-Bissau anunciaram hoje que capturaram 11 pirogas de pescadores do Senegal que se encontravam a pescar ilegalmente em águas guineenses, mas quatro conseguiram fugir depois de terem feito refém um agente guineense.

Mário Fambé, coordenador da Fiscap (entidade de fiscalização das atividades de pesca) e Sigá Batista, capitão dos Portos de Bissau, confirmaram a captura das pirogas senegalesas, mas ambos lamentaram as circunstâncias da operação.

Guiné-Bissau quer acolher o V Congresso da Educação Ambiental da CPLP

LUSA (Bissau,17 de Julho de 2017) – A Guiné-Bissau vai candidatar-se para acolher o V Congresso Internacional da Educação Ambiental da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) prevista para 2019, disse hoje aos jornalistas Mário Diassami, deputado guineense.

Mário Diassami que é também presidente da comissão especializada permanente da Assembleia Nacional Popular da Guiné Bissau e presidente da rede dos parlamentares para as questões ambientais e desenvolvimento durável, vai apresentar a candidatura do país neste IV congresso, cujos trabalhos começaram hoje na cidade de Santo António, na ilha do Príncipe.

Polícia volta a proibir manifestação de guineenses “inconformados”

Lusa & ANG (Bissau, 17 de Julho de 2017) – A polícia voltou no sábado a impedir a manifestação do movimento de cidadãos inconformados com a crise política e dispersou os jovens à força, disse à Lusa um porta-voz do movimento.

Sumaíla Djaló disse que a polícia mandou dispersar os jovens que se preparavam para iniciar uma manifestação pacífica em Bissau, alegando que o protesto não tinha sido autorizado pelo Ministério do Interior.

Partidos guineenses querem governo tecnocrata e apartidário

RFI & VOA (Bissau, 12 de julho de 2017) – O Conselho de Paz e Segurança da União Africana (UA) analisou ontem a crise política na Guiné-Bissau, na presença do primeiro ministro, Umaro Sissoco Embaló.

No mesmo dia, cindo partidos extra-parlamentares, a saber: a Aliança Socialista Guineense (ASG), o Movimento Democrático Guineense (MDG), Partido Social Democrata (PSD), Partido para a Liberdade, Organização e Progresso (PALOP) e Partido dos Trabalhadores (PT), apresentaram uma proposta para saída da crise e a formação de um Governo reconhecido por José Mário Vaz e pelos assinantes do Acordo de Conacri.

Jovens muçulmanas decididas em ajudar a erradicar excisão genital na Guiné-Bissau

LUSA (Bissau, 12 de Julho de 2017) – Aissatu Baldé e Djenabu Baldé, duas jovens muçulmanas da Guiné-Bissau disseram hoje à Lusa que estão “apostadas” em ajudar a comunidade islâmica do país a abandonar a prática da mutilação genital feminina (MGF) por não “representar nada de bom”.

As duas têm o mesmo apelido, mas não são da mesma família. Acreditarem que com o que hoje sabem “sobre os perigos para a saúde da mulher” podem ajudar na mudança da mentalidade em relação ao MGF.

Finanças Públicas: FMI felicita Guiné-Bissau

LUSA & TGB (Bissau, 11 de Julho de 2017) – O representante do Fundo Monetário Internacional (FMI) na Guiné-Bissau, Óscar Melhado, felicitou hoje o “bom desempenho” das atuais autoridades do país, sobretudo ao nível do controlo das finanças públicas.

Em conferência de imprensa, no Ministério da Economia e Finanças, presenciada durante alguns minutos pelo chefe do Estado guineense, José Mário Vaz, o representante do FMI informou que a sua instituição tinha acabado de aprovar a terceira avaliação dos objectivos fixados com o Governo de Bissau.

Comunicação Social: PM guineense fala da necessidade de renegociação com Portugal 

LUSA (Bissau, 10 de Julho de 2017) – O primeiro-ministro guineense, Umaro Sissoco Embaló, afirmou hoje que foi preciso coragem para pedir a renegociação dos acordos de cooperação no âmbito da comunicação social e que Portugal e a Guiné-Bissau estão ligados e são inseparáveis.

Primeiro-ministro Umaro Cissoco Embalo Admitido na ISESCO 

  • Umaro Cissoco Embalo será também doutor Honoris Causa pela Universidade de Alexandria

GBissau (Bissau, 9 de Julho de 2017) – A Organização Islâmica para a Educação, Ciência e Cultura (ISESCO, sigla inglesa) convidou o primeiro-ministro da Guiné-Bissau para fazer parte deste grupo internacional com a sede em Rabat, Marrocos. 

Polícia proíbe manifestação de cidadãos contra crise política na Guiné-Bissau

Lusa & O Democrata (Bissau, 8 de Julho de 2017) – A polícia proibiu hoje uma manifestação de um grupo de cidadãos contra a crise política na Guiné-Bissau alegando a falta de autorização, disse Sumaila Djaló, um porta-voz do grupo de Inconformados, à Lusa.