Portugal: “Ida de Carlos Gomes Júnior ao Conselho de Segurança foi importante”

O ministro dos Negócios Estrangeiros português afirmou nesta quarta-feira, em Boston, que a ida do Primeiro-ministro deposto da Guiné-Bissau, Carlos Gomes Júnior, ao Conselho de Segurança foi importante para vincar a “tolerância zero” internacional com o golpe de Estado no país, noticiou à Lusa.

“As autoridades legítimas são as que nascem do voto popular, é isto que está nas resoluções da ONU e, portanto, ainda bem que Carlos Gomes Júnior esteve no Conselho de Segurança”, disse o ministro dos Negócios Estrangeiros, Paulos Portas, à margem de uma visita a Boston, Estados Unidos.

Questionado sobre a possibilidade de novas medidas contra os golpistas ao nível do Conselho de Segurança, nomeadamente a imposição de sanções a responsáveis políticos, Paulo Portas escusou-se a responder, afirmando que a deslocação de Gomes Júnior é importante por si e que Portugal e outros países se esforçaram para que fosse possível.

“A única coisa que para nós é muito clara é que tem de haver tolerância zero com golpes de Estado que interrompem não só a ordem constitucional, como a possibilidade de desenvolvimento e de paz num país”, afirmou.

Fonte: Angolapress

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.