Movimento nacional da sociedade civil: “a reforma do sector da defesa e segurança conheceu um recuo”

Movimento Nacional da Sociedade Civil para a Paz, Democracia e Desenvolvimento,

Movimento Nacional da Sociedade Civil para a Paz, Democracia e Desenvolvimento,

Bissau – O Movimento nacional da sociedade civil considerou quinta-feira que o processo de reforma do setor da defesa e segurança da Guiné Bissau conheceu um recuo.

Falando à propósito do início da retirada do país da MISSANG, este porta-voz do movimento, Mamadú Queta, considera “ser um imperativo nacional a reforma no setor da defesa e segurança”.

“Foi uma análise, uma constatação feita não só pelas nossas autoridades e pela sociedade civil em geral, mas também e sobretudo, pela comunidade internacional”, referiu.

“Porque, constatou-se que ao longo de vários anos em que o país mergulhou-se em conflitos e crises cíclicas, a responsabilidade número 1 é sempre apontada normalmente às forças da defesa e segurança. De forma que a retirada da MISSANG, que veio no quadro da cooperação entre dois estados – angolano e guineense – é um recuo, portanto, em termos desse processo”, acresentou Mamadú Queta.

 

Fonte: RDN

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.