Sambala Kanuté regressa em grande com o seu álbum “Sila Bá”

Sambala Kanuté - Sila Bá [2012] | Gumbe.com

 

Sambala Kanuté - Sila Bá [2012] | Gumbe.com

(GBissau.com) – O Rei da música afro-mandinga da Guiné-Bissau está de volta. É o regresso de Sambala Kanuté com um álbum extraordinário e quiçá, contagiante. “Sila Bá” é o título do terceiro álbum a solo do músico e cantor da Guiné-Bissau.

Este magnífico trabalho de Sambalá marca o seu regresso ao estilo que o tem definido como um cantor e músico de grande envergadura – sublinhando o aspecto “afro-mandinga” que, aliás constitui uma referência não só da Guiné-Bissau, mas Africana e mundial.

Um álbum, tal como nos tempos de antigamente, repleto de “djamus”, homenagens e elogios. Elogios aos presidentes, aos homens e mulheres de negócios, aos políticos e aos amigos pessoais. Que o diga o tema “Mansa” dedicado ao falecido Presidente guineense Malam Bacai Sanhá; que o digam os temas “Djabi”, “Siyaya”, “Mori Mansa”, “Mansa”, onde desfilam uma lista indeterminada de figuras da Guiné-Bissau em jeito de homenagens, elogios e de reconhecimentos.

Mas, a minha preferência recai sobre a canção “Fatú Kanuté (Djali Mansa)”. Sambala cantou com toda a sua alma e com todo o seu coração. Um reconhecimento e uma homenagem bem merecida a alguém que lhe era próximo. Uma companheira. Uma irmã. Fatú Kanuté. Uma “Djali Musso,” como canta Sambala Kanuté, no tema número cinco. É uma música extraordinária, tocada e produzida por músicos também extraordinários.  Oiça a canção “Fatú Kanuté (Djali Mansa)”, uma cortesia da Rádio Gumbe.com .

Embora o tema número nove tivesse sido gravado ainda quando estava de vida, ele rende uma justa e merecida homenagem ao antigo Presidente da República, Sr. Malam Bacai Sanhá.

“Mansa”, tal como “Fatú Kanuté (Djali Mansa)” são extraordinários. Elegantes. Clássicos. Simplesmente brilhantes. Incontestavelmente. Levam-nos lá para além das lendas e dos impérios; lá para além da solidão e das tristezas; lá para além dos tempos. Fazem-nos sonhar, mas sobretudo reconhecer e apreciar o ser humano. A vida. E o mundo.

Sambala Kanuté está de parabéns. A Guiné-Bissau está de parabéns. Que viva a música afro-mandinga e sua tradição secular. Inshallah! Sim, queira Deus!

A célebre cantora guineense, Eneida Marta abrilhantou o álbum com a sua linda voz, tendo feito vários coros em diferentes canções. Mas, a ênfase vai para a canção “Ospri” de estilo “Mandjuandadi” que certamente dará muito que falar nos meios musicais guineenses.

O mesmo pode-se dizer em relação à cantora Aminata Indjai que participou nas canções “Ano Novo” – agora remisturado com o novo “gosto” e ritmo e também na canção “Salia”.

O álbum “Sila Bá” foi gravado nos finais do ano passado e nos princípios deste ano de 2012 em Portugal, tendo contado com a produção de Juca Delgado, com as participações de vários músicos tais como Mamadi Djabaté, Toni Bat, Alex Y, Miguel Gonçalves, Rui Gonçalves, Mapot e Rafa Nunes.

“Sila Bá” foi gravado no Regie Estúdio por Tiago Freitas e no Juca Delgado Estúdio, contando com a mistura de Carlos Brissos. A masterização pertence a Quim Monte. Jorge Ferreira (RPP) é responsável pelo arranjo gráfico deste álbum.

O álbum anterior, o segundo de Sambala Kanuté, foi Kontela [2008] que contou com a produção de Philip Monteiro com a residência em Dacar, Senegal.

Recorde-se de que Sambala Kanuté comemorou no ano passado os seus 30 anos da sua carreira musical. Sambala Kanute faz parte da lista dos músicos guineenses que internacionalizaram a cultura musical guineense, participando com sucesso em muitos encontros internacionais.

Ouvindo os temas do álbum “Sila Bá” compreenderemos as razões do seu sucesso musical. Ele é um génio. Um génio musical guineense e um mestre do estilo afro-mandinga.

Editor da GBissau.com & Fundador da Rádio Gumbe.com

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.