Presidência moçambicana promete mais empenho na resolução da crise da Guiné-Bissau

Presidente de Moçambique, Armando Guebuza, também presidente em exercício da CPLP

Presidente de Moçambique, Armando Guebuza, também presidente em exercício da CPLP

Maputo  (Angola Press, 16 de Outubro de 2012) – A presidência moçambicana da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), assegurou total apoio à Guiné-Bissau, para ultrapassar a crise sociopolítica que o país enfrenta, mas considera o diálogo “um potente mecanismo” para a resolução do conflito, noticiou à Lusa.

“Nós estamos com o povo da Guiné e continuaremos a fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para que as dificuldades que actualmente enfrentam sejam ultrapassadas e para o que o povo volte a viver em paz e a dar a sua contribuição que todos necessitamos na área politica, económica, social e cultural”, disse o chefe de Estado moçambicano, Armando Guebuza, que é igualmente presidente em exercício da CPLP.

Falando hoje, terça-feira, num encontro com os embaixadores da CPLP acreditados na Bélgica, à margem das VII Jornadas Europeias de Desenvolvimento, Armando Guebuza defendeu que os actores guineenses devem assumir o papel central na resolução dos problemas que o país enfrenta, uma acção que deve ser feita à base de diálogo, com apoio das organizações regionais e internacionais.

O restabelecimento urgente da ordem constitucional guineense é uma das principais apostas da presidência moçambicana da CPLP, para a Guiné-Bissau, actualmente administrada por um Governo de transição, após uma junta militar ter levado a cabo o golpe de Estado a 12 de Abril.

Na última Assembleia-Geral, em Setembro, as Nações Unidas decidiram enviar à Guine-Bissau, uma missão composta pela CPLP, Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental, União Africana e a própria ONU para avaliar a situação e recomendar medidas que sejam necessárias para estabilizar aquele país.

Armando Guebuza, que é igualmente presidente em exercício da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), participa durante três dias nas VII Jornadas europeias orientadas sob lema “Crescimento inclusivo e sustentável para o desenvolvimento humano”.

As Jornadas são um fórum de alto nível que junta representantes governamentais e da sociedade civil, para reflectir sobre questões prementes de cooperação internacional para o desenvolvimento.

One Response to Presidência moçambicana promete mais empenho na resolução da crise da Guiné-Bissau

  1. N'tori Palan diz:

    Meus Caros ilustres paises da CPLP, o que vos digo como cidadao deste muribundo pais, em tempos respeitado como a Republica da Guine-Bissau, e’ que, se nao nos queiram no abismo a que estamos destinados, entao preparem-se para a ardua tarefa de resgate que vos espera! Por ca, ja concluimos que nao somos dignos de nos configurarmos entre as nassoes civilizadas, pois nao! vejam so a ultima declaracao de um dos nossos 3 machos presidentes de nome N’toni N’djai que chama as ONU representada pelo seu oficial representate no pais, de bandidos! Enquantos isso, os outros famosos intelectuais golpistas vao chamando nomes a governantes de outros paises que nao se compactuam com a macacada implantada na Guine-Bissau! tudo, para cumprir o objectivo trassado do 12 de Abril que, consiste em isolar e retirar a Guine-Bissau do concerto das nassoes deste planeta!

    Por favor, oucupai-vos dos vossos afazeres e nos deixem seguir o rumo do chumbo no oceano!

    O que me aflige, de facto, e’ o silencio dos bons patriotas!

    N’tori Palan

Responder a N'tori Palan Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.