Surto de diarreia provoca três mortes no país

Hospital Simão Mendes - Bissau

Hospital Simão Mendes – Bissau

Bissau (AngolaPress, 15 de Outubro de 2012) – As autoridades sanitárias da Guiné-Bissau alertaram ontem, segunda-feira, para a existência de um “surto forte de diarreia” no país que já causou a morte de três pessoas, entre um total de 567 afectadas.

De acordo com Lamine Indjai, responsável pela comunicação do Ministério da Saúde Publica, citado pela LUSA, desde Agosto de 2012 que o país tem sido fustigado “por um surto forte de diarreia”, que tem “vindo a aumentar de proporções” nos últimos dias.

“Não podemos dizer que há cólera no país, mas sim um surto de diarreia forte. Nalguns casos é mesmo fatal. Já temos a registar três óbitos entre 567 casos registados”, disse Lamine Indjai, pedindo à população para ter cuidado.

Segundo o responsável, as autoridades sanitárias foram informadas sobre os casos que dispararam.

Entre sexta-feira e ontem deram entrada 38 novos casos de diarreias nos serviços de prevenção no hospital Simão Mendes” em Bissau, enfatizou Indjai, acrescentando que a situação se está a degradar.

O responsável pela comunicação do ministério da Saúde guineense chamou a atenção para os sinais que um doente deve observar para recorrer imediatamente aos serviços sanitários: “Em caso de diarreia aguda acompanhada de vómitos o doente deve procurar rapidamente o centro de saúde mais próximo à sua zona de residência ou mesmo o hospital Nacional Simão Mendes em Bissau”, advertiu.

Bissau tem sido a zona mais afectada pelo surto de diarreia, com 541 casos. A região de Biombo (nordeste) registou até quinta-feira passada, 20 casos, e Tombali, no sul, seis casos, disse Lamine Indjai.

Informações médicas em Bissau apontam para a existência de surtos de cólera nos países vizinhos da Guiné-Bissau, nomeadamente Senegal e Guiné-Conakry.

O último grande problema de saúde pública na Guiné-Bissau foi em 2008, quando um surto de cólera matou mais de 200 pessoas, pelo menos 12 mil infectadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.