Opiniões: Guiné-Bissau, os sonhos e um país por cumprir

Amílcar CabralBissau (Lusa, Janeiro de 2013) –  Os sonhos de Amílcar Cabral de uma Guiné-Bissau independente, democrática e desenvolvida estão por cumprir, 40 anos após a morte do herói do país, de acordo com analistas. Para uns o país falhou, para outros foi Amílcar quem falhou.

Amílcar Lopes Cabral, que nasceu na Guiné-Bissau e passou parte da sua vida em Cabo Verde, foi o fundador do movimento de luta pela independência das então duas colónias portuguesas e morreu a 20 de janeiro de 1973, na Guiné-Conacri, prevalecendo a tese de que terão sido os próprios companheiros de luta os autores.

Quarenta anos depois, a Lusa perguntou a três dos mais conhecidos analistas políticos da Guiné-Bissau quais os sonhos do principal herói do país que estavam por cumprir.

Fernando Delfim da Silva:

“Este país não tem nada a ver com aquilo que Amílcar Cabral sonhou. Há uma coisa importante que ele sonhou e está feito: preparou tudo até à véspera da consumação das independências e foi assassinado. Este é um mérito histórico, indiscutível e eterno. Daí para a frente falhámos tudo”.

Rui Landim:

“O grande sonho de Cabral, aquilo pelo que lutou, existe hoje: um espaço político e demográfico chamado República da Guiné-Bissau, independente e onde os próprios guineenses dirigem o seu destino. Os outros sonhos não”.

Fafali Koudawo:

“Só se concretizou o içar da bandeira. É difícil dizer que se concretizou a independência. Se atentarmos à definição que Amílcar Cabral deu de independência a Guiné-Bissau está longe de ter uma independência”.

O analista explica que Amílcar Cabral tinha como definição de independência o facto de o homem africano ter a liberdade de escolher o seu próprio destino, de andar pelos seus pés no caminho que escolheu. “Será que a Guiné-Bissau está a andar pelos seus pés num caminho escolhido? Duvido!”.

15 Responses to Opiniões: Guiné-Bissau, os sonhos e um país por cumprir

  1. N'tori Palan diz:

    Falhamos em tudo que este grandioso lider planificara e delineara, por nao formos capazes de usar a cabessa em detrimento da forsa! Por haver, homens demaseados maus e crueis que se autorogaram de donos de terra e agora na eminencia de serem substituidos por outros com nova paradigma acente na tribalizacao que nos vai conduzir ao abismo de forma mais acelerada! Falhamos por sermos demaseados pequenos, e e’ preciso reconhecer isso!
    Ha muito pouco patriotismo, sempre houve, e estamos a afundarmos mais com o fenomeno do tribalismo…, protecao aos criminosos por petensas de grupos, incitacao a violencia, etc!

    Cabral meu grande lider, descance em paz! Cumpriu a sua obrigassao!

    • alberto coiate diz:

      Desejo de Amílcar Cabral
      Na busca da realização de um desejo deprimido revestido de poderes antecipadores para manter em ordem o cérebro dos seus sucessores, Amílcar Cabral não sonhou, mas sim projectou a Guiné-Bissau tendo em conta as lembranças dos fatos ocorridos no passado.
      Como Filho da Guiné e Cabo Verde simboliza a sua inocência, seu senso de vulnerabilidade e desamparo, mas representa suas aspirações e potencialidade
      Como Pai e político ofereceu orientação e palavras de sabedoria aos políticos.
      Como Avô ofereceu a confiança positiva aos jovens.
      Ele fez a sua parte!
      Falta a nossa parte…
      “Nós temos que fazer a nossa parte sem diferença, sem medo, com a verdade e força de vontade. Só assim teremos uma Guiné sã para todos”.

  2. Eng° FIDIDA diz:

    O nosso falhanço é reflexo da nossa fraqueza e incapacidade de interpretar e executar o projecto de Cabral, sem mais, o tribalismo é um fenomino ou bode espiatorio fomentado com a democracia para justificar essa nossa incapacidade. A luta pelo beneficio pessoal, ganhou outros contornos e a tentaçao de criar elite que assim devia tornar-se detentor de tudo, carecendo do saber fazer e mais carente ainda do poder financeiro, agravou-se a situaçao.

    Sr. Ntory,enquanto continua a dizer que o tribalismo é que é o entrave, eu declaro teu opositor de ideias. So nao te lembras, que ja passou governos de genros, primos, amigos e vassalos, como chama isso? Nepotismo cronico, o Sr deve estar uma destas.

    Nao ha tribalismo, nao aceito. Se for no ambito de partidos, o lider de cada partido tem uma identidade etnica, isso nao leva dizer que esse partido é da sua etnia, e isso so acontece com um partido, porquê?

  3. N'tori Palan diz:

    Ao Ex.mo Eng Fidida,

    Compreendo o incomodo que te causa sempre que o fenomeno tribalismo for o referido. Isso so confirma a realidade da minha apreciacao!

    So gostava de te perguntar, se fosse Kumba Yala que estivesse posicionado a vencer as ultimas presidenciais, o ultimo golpe teria lugar? E, Porque?

    Cabral, laanta di koba pa no barssau…. (Sidonio Pais)

    • indy indy diz:

      “se fosse o koumba yala que estivesse posicionado a vencer as ultimas presidenciais, o ultimo golpe teria lugar? E, porquê?” estou a transcrever.

      Bem, só não é tribalismo o golpe do presidente koumba yala em 2003!!!

      “compreendo o incomodo que te causa sempre que o fenômeno tribalismo for referido” diz o sr. palan.

      É que, a tua obcecada analise (visão) do tribalismo na Guiné se, não é para tirar os dividendos (proveitos) politico (o que resta de clube do teu patrão Cadogo)então, ao meu ver, os teus comentários em todos “sitios, blogs virtuais” em que o sr. andou a pular e escrever sem um argumento credível, acho eu que, já é momento de o sr. parar e pensar senão, elevar um pouco nesse teus comentários tão VIL E PERIGOSA QUE TODOS GUINEENSE DISPENSA.

      Quanto a musica guineense há de vários tipos:
      TUGA ÉMBARCA É BAI, TUGA DI TERRA FIKA, É SORONDA IMPERIALISMO NA… (super mamadjombo)

      desafio te apresentar os facto(s) tribal na GUINE sr Palan

  4. ao sr. ntori palan diz:

    se fosse Cadogo a estar na mesma posição de Kumba Yala… como aconteceu em 2003 em que deram golpe em que posição ficaria o senhor? (não querendo defender o Kumba porque todos os golpes são condenáveis incluindo este) ou se fosse outra pessoa a encabeçar o golpe o que diria o senhor… a incapacidade da guine está nos seus filhos desde Kumba até ao senhor… que mostra não saber fazer analise politica isenta senão em base ao tribalismo!!! preocupa-me muito intelectualidade de alguns “expert” que so sabem dividir para reinar (o senhor é inteligente não se deixa cair no ridiculo, como dizem os vozes de burro não chegam ao ceu!).

  5. N'tori Palan diz:

    Folgo-me em constatar que, ate haja alguem que nao fixe aos assuntos em analises, obsevacoes e comentarios, para se dedicar a mim! Isto so realsa a ma intencao de uma boa franja da nossa populacao, cuja intencao esta’ fundamentamente em concepcao da nefasta tribalizacao da nossa sociedade. Mas, enfim, haver vamos…

    Ao sr do sr ntori palan, consigo ver que a sua mior preocupacao, reside na tese de golpe por golpe, ou seja, por ter havido golpes no passado, com mais ou menos condenacoes, logo, tambem deveria haver complacencia pra com este, o que e’ de se lamentar por esta mentalidade. Mas devo-lhe dizer que, nao ha nada igual. Neste ultimo golpe, ao contrario dos outros, a pais estava em processo de forte crescimento economico, sinal de properidade para o povo guineense, e mais, ate este golpe, nunca o povo havia sido posto de juelho pelos militars e politicos com tendencia tribal…quer mais?

    Poupo-me por aqui, ate breve

  6. ao sr. ntori palan diz:

    O que não consigo entender, é quando se diz que este golpe tem tendências tribais, porque este golpe partiu da divisão profundo dentro do partido democraticamente eleito(PAIGC) com o Serifo na cabeça do cartaz, e depois estendeu ao Afonso Té, Henrique Rosa, E Kumba Yala, para não chamar os outros responsáveis! Agora se isto é tendência tribal então não estamos de acordo, caso contrario(isto é, você acha que é tribal) justifique e também não se esqueça de justificar as participações dos outros 4!, agora lembro-me muito bem aquando da morte de Helder Proencia e Baciro Dabo um ex-chefe de estados Maior ter dito o seguinte frase: “nos cumprimos o que fomos mandado, falta o Governo justificar”, irmão é preciso ver as coisas com olhos de ver, e como Guineense não devemos estar do lado de fulano, beltrano ou sicrano, o que estou a querer dizer com isto é que todos sejam responsabilizado, e não alguns como você esta a tentar passar, só responsabilizando pessoas com um todo é que podemos dialogar e conseguir ultrapassar as nossas divergências.

  7. N'tori Palan diz:

    Nao, nao concordo com a analise do “ao sr ntori palan”. A que compreender que e’ normal contestacao em democracia, alias, faz parte da domocracia, para lhe dizer que, ha que separar a normal contestacao ao resultado com a pratica do golpe. E talves tenha sido por isso que nunca mais se houviu falar dos outros lamentaveis 4 candidatos com exepcao do Nhamadjo, observando por isso, a presumivel demarcacao do mentor do golpe: Kumba Yala!

    Meu caro, pesso-lhe que reveje as declaracoes do Kumba horas imediatemente anteriores ao golpe e diga-me de onde foi buscar tanta confianca pra, proferir ameassas.

    Esta’ mais que evidente que se fossem as prorogativas constitucionais, nao era o Nhamadjo o presidente, mas sim o kumba para completar o desastroso mandato que lhe foi enterrompido.

    Ao este Indy, so o refiro pra dar exemplo do mediucritize de poucos guineense, mas suficientes para representar a mentalidade tacanha que nos tem impedido de avancar como povo! Se houvese um neuronio, sequer, da parte deste sugeito, perceberia o que me refiro com os meus comentarios, pulando de sitios…

  8. Retornado diz:

    O assassinato de Amílcar foi a derrota política do PAIGC.

    Já o MPLA também saíu derrotado em Angola no campo político, (psico-social).

    Era fácil o colonizador convencer o povo colonizado (sobas, régulos e mulheres grandes) contra os movimentos.

    As armas e a política internacional, principalmente na Guiné é que fez capitular a resistência colonial.

    Salazar nunca modernizou o exército porque sabia que com armas não se vai a lado nenhum.

    Os regulados e sobados compreendiam Salazar e acreditavam na psico dos governadores de distrito em Angola e em Spínola na Guiné.

    O povo sabia muito bem o saco de gatos que eram os movimentos e que no fim sobrava para o povo.

    O povo (angolano, guineense e moçambicano) sentiram na pele o que previam e não puderam evitar.

  9. ao sr. ntori palan diz:

    o que é que isto tem a ver com outras etnias? aceito que o KUMBA deve ser responsabilizado isoladamente tal como muitas outras pessoas incluindo CADOGO… como Guineenses e cidadãos!! A justiça tem que funcionar… e para que a justiça funcione é preciso que as pessoas respeitam-na…

  10. N'tori Palan diz:

    Ao Sr “sr. ntori palan” que diz: “o que é que isto tem a ver com outras etnias? aceito que o KUMBA deve ser responsabilizado isoladamente tal como muitas outras pessoas incluindo CADOGO… como Guineenses e cidadãos!! A justiça tem que funcionar… e para que a justiça funcione é preciso que as pessoas respeitam-na…”

    – Isso tem a ver com o etnicismo visto, qdo ele se recorre as chefias militares que na sua maioria se identica com ele, dedestacar, nao seria pela filosofia ou projecto politico mas sim, pela razao estnica;

    – Qdo se assiste pelas midias, a isaltacao de certas pessoas que, com clara enfase em pretensa etnica e que raras e quase invariavel veses mao sejam da mesma etnia que o Kumba, percebe-se que se esta’ em presensa de tribalizacao em germinacao que, importa relatar sem tabu;

    – Qdo em 21 de Outubro de 2012, se assiste matansa de 6 jovens, concidentemente da mesma etnia, tidos com rebeldes de casamansa, em que o (o unico)sobrevivente fosse Pansau N’tchama de diferente etnia das vitimas, percebe-se que o assunto e’ meramente tribal;

    – Qdo sempre escapa Pansau N’tchama e morram em Bolama mais outro tantos jovens que nao sejam da mesma etnia dele pansau, desconfia-se que a manobra macabra do matador esta’ assente em seleccao tribal.

    Amigo, e’ identificar estas macabrisses e relata-las sem tabu convista a dissuadir e desarmar qualque tentativa da sua implantacao. Fingir que isso nao se passa, pode revelar-se fatal para o pais!

  11. Se civilmente a sociedade guineense não é claramente etnizada, politicamente ela é profundamente etnizada, e isto tem necessariamente implicações quando se trata do acesso ao poder, conforme as normas de um estado de direito democratico que estamos a construir.

  12. ao sr. ntori palan diz:

    Lamentando morte das pessoas que morreram e condenando veementemente uso despropositado de força por parte das pessoas que detém arma, ao mesmo tempo quero dizer que das duas será uma, ou estas pessoas foram assassinadas friamente depois de serem preso e interrogado sobre as suas origens etnicas ou foram mortos no assalto e tentativa de tomada do “quartel de para-comando”? é capaz de me explicar esta minha duvida. quanto ao Pansau Intchama, era peça fundamental neste processo todo… voltando a criticar o peso excessivo das nossas forças armado e dos nossos politicos imiscuindo-se sempre com as tropas no quartel! talvez por isso não foi morto, um dia saberemos a verdade, porque é mais facil apanhar um mentiroso que um coxo. para Concluir penso que não esta escrito na testa de nenhum Guineense a sua origem etnica e muitas vezes nem sequer através dos nomes se consegue identificar a etnia que uma pessoa pertencente!

  13. N'tori Palan diz:

    Caro amigo a sua duvida disvendar-se-a ser for capaz de constatar a incrivel concidencia de todas 6+1 vitimas do dia 21 de Outubro de 2012 serem todas da etnia felupe em que o unico sobrevivente e logo o unico de difente etnia da delas ser justamente Pansau N’tchama! Mais, ser ele a escapar no massacre subsequente em Bolama!

    Hoje, quem detem a liberdade de estar contra o golpe e poder expressar-se livrimente e’ reservado a desterminado e especifico grupo de pessoas com caracteristicais tais.

    O nome Pansau N’thcama, percebe-se, segundo a sua declaracao, que pode ser um Fula ou bijago!

Responder a Retornado Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.