Entrevista: “Cabral era um egocêntrico” – historiador guineense Mário Cissoko

Em entrevista à agência Lusa por ocasião do 40.º aniversário da morte de Amílcar Cabral, o historiador, que conviveu com o líder histórico na Guiné-Conacri, nos tempos da clandestinidade, diz: “é errado rotular Amílcar Cabral de santo”.

Mário Cissoko considera que Amílcar Cabral era uma pessoa egocêntrica e que “fez tudo para chegar onde chegou”, às vezes por métodos “pouco claros”.

“Há um culto de personalidade exagerado de Amílcar Cabral, mas ele não era um homem perfeito. Eis o meu ponto de vista, o que me tem trazido muita contradição, diferendo, com muita gente neste país”, afirma Cissoko.

“Não sou inimigo de Amílcar Cabral, sou um historiador. Ele não é nenhum santo como se queira pintar dele”, diz, citando casos que na sua opinião atestam o que afirma.

“Cabral geriu mal as contradições com os seus colegas da luta. Com os combatentes guineenses isso era visível. Era o único a pensar e ditar as regras. Com os cabo-verdianos também. Várias vezes ouvi discussões entre Cabral e Abílio Duarte sobre quem de facto dirigia a luta”, nota.

“Certa vez discutia com Abílio Duarte e este dizia-lhe: você não é o chefe supremo disto. Estão aqui duas competências nacionais diferentes (Guiné e Cabo Verde). Abílio Duarte que era de facto o chefe da competência cabo-verdiana na luta não aceitava que Cabral fosse o chefe dele. Mesmo sendo o que era não tinha um gabinete específico no secretariado do partido em Conacri. Andava pelo sítio”, afirma Mário Cissoko.

Hoje com 65 anos e na altura responsável pela compilação das memórias da luta armada pela independência da Guiné-Bissau, Mário Cissoko diz que conviveu quase diariamente com Amílcar Cabral em Conacri, durante dois anos.

“Conheci Amílcar Cabral em 1965. Fui encarregado de arquivo morto do secretariado do PAIGC em Conacri entre 1966 e 1968, também nesse período era o encarregado da biblioteca do partido, que se situava mesmo ao lado do gabinete de Amílcar Cabral, ainda ajudava na tradução das publicações de propaganda do partido para o francês”, observa Cissoko.

O historiador, que diz que vai fazer relatos completos “com provas documentais” de muita coisa no seu livro, que se chamará “Dossiê secreto da luta de libertação nacional”, afirma que Amílcar Cabral não se iria aguentar durante muito tempo no poder se chegasse vivo à independência.

“Se fosse vivo aquando da independência e viesse para Bissau teria que justificar a morte de vários destacados combatentes guineenses. Mesmo que isso não fosse falado, seria os rumores de Bissau. Isso iria irrigar o povo”, diz o historiador.

“Também ele não iria manter-se no poder durante muito tempo como líder, porque, com a sua filosofia de vida, não iria aguentar perante as novas tentações do poder num país independente”, acrescenta.

Sem certezas, o historiador admite que já no final da vida de Amílcar Cabral este percebeu que a sua maneira de ser não era apreciado pelos combatentes. Daí, afirma, a célebre frase do antigo dirigente: “duas cabeças pensam melhor que uma e três pensam ainda muito melhor do que duas”.

“Fico a pensar que quando ele diz isso compreendeu que as pessoas já não suportavam o facto de ser ele o único que fala e pensa”, sublinha o historiador, avançando as causas possíveis para o assassínio do líder.

“Amílcar Cabral era uma pessoa inteligente. Fez o seu percurso para chegar onde chegou, era egocêntrico e por vezes injusto nas suas decisões, isso poderá ser o motivo da sua morte”, diz Cissoko, quando solicitado para definir a personalidade de Amílcar Cabral.

Entretanto, em declarações à Rádio de Cabo Verde, Corsino Tolentino, investigador cabo-verdiano e antigo combatente, afirma que o historiador guineense parte de um principio errado, que se está a santificar Cabral. “Cabral era um humanista universal, defensor dos direitos humanos”.

Ainda segundo Corsino Tolentino, hoje a obra de Cabral continua válida e justifica o argumento com o slogan do fundador do PAIGC, “pensar pelas nossas próprias cabeças”.

 

20 Responses to Entrevista: “Cabral era um egocêntrico” – historiador guineense Mário Cissoko

  1. Bubacar diz:

    Nao convivi com Cabral, por isso, tudo o que sei dele é o que li e o que ouvi falar dele. Ora, nem sempre o que se escreve ou o que se diz é verdade. Estou consiente que nessas condicoes é muito dificil de conhecer a verdade, mas conhecendo raça humana duvido muito do que oiço falar ou do que li sobre ele. Nao estou a dizer que ele nao foi uma pessoa muito importante na luta pela libertaçao nacional e na criaçao da identidade guineense, muito pelo contrarion eu penço que ele foi e continuara a ser o melhor filho da naçao guineense e cabo verdiana e, por tudo isso e muito mais admiro muito a sua personalidade e o respeito bastante. No entanto como qualquer pessoa que nunca pode ser perfeita esperava da parte dos seos “companheiros” que nos falassem um pouco da sua parte negativa. Acho que isso daria mais credibilidade das suas afirmaçoes e da historia que escreveram sobre esta figura incontornavel na historia recente dos povos africanos e mais particularmente da Guiné Bissau e do Cabo Verde.

  2. ROGADO diz:

    Mario Cisoko esta mais informado do que qualquer outro Historiador ou Jornalista, de Jornaleiro nem resposta merece. Tudo o que Mario disse eh verdade e era do conhecimento do povo Guineenese, o que quer dizer nao eh novidade, a novidade eh os Guineenses comecarem a perder o medo de dizer o que pensam. Lembro que uma vez escutei o Mario a dizer que a historia so sera contado quando os protagonistas nao poderem influenciar o contador da Historia e eh isso que esta a comecar a acontecer.
    ROGADO

  3. michel bohyri diz:

    como disse o senhor Rogado; o historiador Cissoko esta muito bem informado igual que muito dos seus companheiros de luta. a unica diferença é que o Cissoko foi quem tem ousadia de explicar qual a verdadeira personalidade de Cabral. O camarada amilcar Lopes cabral nao era nenhum santo, igual k todos os seus camaradas de luta eram pessoas humanas e é obviu que podiam cometer e k cometeram erros que nos custariam carro e a toda uma naçao .

  4. N'tori Palan diz:

    Prefiro dar enfanse a parte fundamental do trasso caracteristico da personalidade do A. Cabral, que foi aquela que inflenciou a minha liberdade como humano e hoje em dia, poder-me partilhar os meus direitos fundamentais e nao ter qualquer complexo de inferioridade perante um outro homem, pela cor da pele ou pelo dote deste. Para mim, ele pode ser egocentrico e ate iguista, tudo isso nao me importa, o que importa, e’ perceber que houve um Homem que se abdicou das modomias a ele oferecidas pelos fascistas brancos Portugueses, para dar a sua propria vida pela liberdade de geracoes e influencias a luta de outros povos em outros continentes!

    Se nao se lhe e’ grato por tudo isso e dai assistirmos vaidades dos politicos atuais guineenses desprovidos do sentido de humanismo para com o seu povo, haver pessoas dispostas atudo para lhe ser ingratos, seria bom que se evitasse a idiotises e ao menos, resumirmos ao silencio.

    • Eng FIDIDA diz:

      Nao podemos subscrever palavras dos que minimizem qualidades excepecionais de Cabral, enquanto panafricanista, politico e humanista, isto estou de acordo com o Sr. Ntory, mas repudio as suas palavras duras, ao ponto de falar em idiotisses e em silencio. a boca fechada nao entra mosca, mas nao sai asneiras. Mas vale pena sermos idiotas, por aquilo que dissemos, do ficarmos calados a sofrer por um grupo de egocentristas, iguistas que confundem o centralismo democratico da democracia.

      A democracia nao é o que nos querem fazer entender, ou o que angola estava tentando implantar. Vamos fazer a vontade de Cabral, pensando com as nossas cabeças e marchando com os nossos pes, isto é que é a independencia.

    • AJ diz:

      Nha publico,
      Putemos pelos comentarios cientificos(imparcialidade, objectividade)

      Acreditem que uma uma outra versao da historia de GB e Cabral daria mais valor a personalidade a personalidade de cabral, bem como a sua historia. Se todos nos sabemos que o Homem eh falivel porque tanta raiva, porque tentar ser vesgos, surdos, mudos e ate segos (respito-os muito)ao houvir essas verssoes que estavam a ser ocultadas por todos e mais …

      Merito ele tem, capacidade ele tem, mas ele eh substituivel e eh comparavel porq a final ele foi um ser humano que passou na terra. Quem eh que esta disposta a escrver sobre a vida conjugal do cabral!? Merece! Como eh que ele granjiou tanta simpatia a nivel nacional e internacional, sera que ele nao tinha uma pessoa a traz ou ao lado ou enfrente dele que nao queria dar carra. Sera q tudo foi um praiso!? Porque eh que ele lutou pra a independencia de um pais utizando o tritorio dum outro pais? Ha varias questoes que devemos levantar antes de afirmar que ele eh o que ele eh. Uma outra coisa que gostaria de levantar eh que fundar um partido politico e depois liderar uma luta armada eh na quela era como fundar um partido politico na era da demmocracia – esta na moda ele fundava ou um outro filha da terra fundava um outro partido politico que achava formulas quem sabe ate melhores daquele q o cabral e seus companheiro utilizaram para conquistar a independencia. Cumprimentos nha publico
      AJ

  5. Filomeno Pina. diz:

    Harmôms…
    Komberssa ta tyssy komberssa, na symta’mpêra núbydady, nóz-tam!!!
    Quym ky-pady Santo tê haóz? Kál-pekadúr ky Santu? par’Deus!
    Na’pêra komberssa ky-na bym dyamty, hó’tráz!!!!!
    Djarama. Filomeno Pina.

  6. Dartanha Na Bantaba diz:

    Se eu fosse melhor que o Amilcar Cabral; Se fosse capaz de lhe superar em projectos e obras que fossem reconhecidos por este mundo todo, Eu admitiria todos os difeitos do Amilcar Cabral Homem!

    Se atualmente houvesse um so politico guineense com patriotismo, visao e deteminacao que Amilcar Cabral teve, e ter o dobro dos difeitos dele, a nossa Guine-Bissau nao estava no estado pantanal em que esta’. Agora, como disse o Sr N’tori, se nao lhe podemos reconhecer pela sua obra que nos conduziu a vida livre que disfrutamos de momento, nao nos fica bem rpocurar focar nos difeitos do Homem e pessoa Amilcar Cabral.

    Esta na altura de comessarmos a valorizar e reconhecer meritos dos nossos genios, so assim poderemos comessar a diluir as mas praticas e levar a que todos se esforssarem pelo reconhecimento publico do merito.

    Ou como disse Filomeno Pina, Quem ja nasceu santo?

    Estamos Juntos…

  7. É o que faltava agora o Mário Cissoko, vem dizer que o fundador da nossa nacionalidade foi, em vida , um homem ” egocentrico, egoísta e não foi nenhum nenhum santo”. Bem, eu em tudo o que conheci do grande líder Amilcar Cabra, foi e continua a ser através dos livros, mas o Mário Cissoko, por ter privado com o Cabral, julga-se detentor de toda a verdade sobre a sua personalidade, o que eu duvido muito.

    Não há nenhum ser humano santo, todos somos imperfeitos, cometemos erros que são próprios da nartureza humana.

    O quê é que o Mário Cissoko fez de relevante, como legado indelevel para a guiné-bissau? Públique!

  8. indy indy diz:

    Cabral como pensador e conhecedor da causa africana e, em particular de guine e cabo verde, sabia distinguir o interesse comum em beneficio deste dois povos.
    Sendo ele um líder carismático, um pensador, um visionário, um intelectual com um elevado nível cultural. Na senda nacional e internacional ensinou e batizou-nos como povo guineense não, tribos guineenses.
    Como pai da duas nacionalidades, tinha lucidez de distinguir os dois país como nação de todos filhos da terra e não como seu propriedade privada.
    O discurso e a mensagem tribalista começou a transparecer com derrube de OLIGARQUIA e os seus ACÓLITOS que a todo custo tenta nos desviar de real do país que a dita democracia inda embrionária deixar as sua larvas.

    CABRAL, visionário sempre nos alertou para estarmos atento estes discípulos que sabem e tem na mente o seguinte:
    DIVIDIR PARA MELHOR REINAR
    A civismo e a ética é patrão universal a respeitar mesmo no pseudônimo.

    faz sentido escrever para sensibilizar não, escrever vagamente como diz e bem alguém aqui neste espaço “vale pena estar de boca fechado de que falar asneiras ou deixar mau ar transparecer”.

  9. Filomeno Pina. diz:

    Harmôms.

    kampu mysty kymty-dê
    nô-toma symtydu
    Mumtrumdady passamta
    Pá-dyzkudamtano symtydu
    tráz dy kunu-dy-kóbra
    nymguym kata ôdjal, numka

    futssêruz mysty kamba tabamka
    pa n’gananu, pa nô syby rótcha
    no dyssa Lamtymdam tráz
    Amílcar Cabral, phey Murry
    sugumdu byáz, pa-kê

    ka-nô-djumgu-dê
    nô mata kóbras
    Kanô-sêta lagúa
    na nô metady

    Mumtrumdady passamta
    Par’Deus.

  10. Alberto Djata diz:

    Ami pensa kuma ni ika djica pano fala utru mal na és historia;
    Um exemplo, qualquer algém misti bai visita Piramede de Egipto, ma bô pensa ku se construcon ka tené parte negro? ma nigém kata punta kilala, pabia obra tené grande importância na si arqutectura i na si perspectivas.

    Ma pabia Guiné Bissau ka consigui da um passo possitivo de desenvolvimento kô lebano na és, ma Cabral fassi se parte komo lider i kasta pa geri utru contradicon fora de pensa na liberta si povo. ponto final

  11. nico diz:

    Não conheço esse Sr. e se conheceu Cabral, alguma vez disse-lhe o que agora está a querer transmitir? Porque razão não participou na luta pela independência do país? Tinha medo de Cabral?
    Ó povo da Guiné, penso que não devemos dar ouvidos a quem outrora e presentemente não fez e não fará nada para a sua terra.
    Onde esteve aquando das outras comemorações do desaparecimento do grande obreiro da independência da Guiné e Cabo Verde?
    Deve estar frustado e aconselho a meteremm-no no manicómio lugar dos doidos e imbecis.
    Será que alguma vez deu uma opinião ao Cabral? Duvido.
    Não adianta dizer mais coisas, homens com o pai da nacionalidade guineense foi esse e não aparecerá mais outro.

  12. Bacar Sanhá diz:

    Venhamos e convenhamos!Haja Saúde e Santa Paciência!Amílcar Cabral foi,é e será o melhor líder-político,estratega,humanista de todos os tempos na Guiné Portuguesa,na Guiné-Bissau e em Cabo Verde!Gostemos ou não de Cabral era grande Homem!Claro que tinha defeitos e defeitos como todos nós,era mulherengo,determinante,mandou assassinar aqueles que desviavam das linhas do Partido,mas era um líder carismático,inteligentíssimo,filantropo,estava avançado 50 anos no tempo.

    • Didisushanle diz:

      Boa noite,
      Desculpe a minha tardia participação,mas assunto Amilcar Cabral nunca é tarde para dar atenção. So uma perguntinha, Sr. Bacar Sanha, tens provas do que escrevetes sobre este assunto? “mandou assassinar aqueles que desviavam das linhas do Partido”? Seria lhe eternamente grata se publicasses essas provas online. Obrigada!

  13. jak bond diz:

    Mário Cissoko es um mentiroso difamador se Cabral vivesse a pós independência Guine Bissau não tinha o problema que tem hoje,enquanto a personalidade de Cabral ele não era perfeito e nenhum ser humano é o senhor esta mais distante da perfeição de que qualquer um ser humano em vez de agradeser o Cabral o senhor conspira contra sua personalidade tudo isso só para aparecer parabéns apareceste sua besta, vai lavar a boca para falar de Cabral seu nogento.

  14. Alberto jaura diz:

    É preciso distinguir história da política, pois história relata fato do passado que é contrário da propaganda política. Sr jak estas precipitado tenha calma, CISSOKÓ é um Génio dos historiadores da costa Ocidental. próprio historiador disse que tudo nele não é perfeito portanto tu é mais outros precisam de fazer uma equação científica do quê CISSOKÓ disse cujo perfil não pode ser escolar, citar sumariamente o que faz falta. Pergunto a te, porquê TCHICO TÊ bofeteou AMÍLCAR em CONAKRI? Porque AMÍLCAR dava melhor condições aos soldados cabo-verdianos do que oficiais guineenses? Sr. é preciso distinguir bem do mal.

  15. Luís Cabral diz:

    Este texto não me convenceu, tenho grande respeito para os dois Países e pelo Sr. Particularmente. Todos nós sabemos que não somos Santos apesar de sermos líder dum Partido ou duma Instituição. Peço 1001 desculpas pela sua Idade que já la vão. Sr. CissoKÓ…
    Por tudo que sabe sobre esse Homem é equívoco ou seja confuso por não sabe quem MATOU AMILCAR CABRAL. PRONUNCIE…FICO ATENTO!

  16. Wilton Rosário Semedo Tavares diz:

    Respeito a opinião do Mario Cissoko, apesar de ter todo direito de dizer-las, na minha opinião achei muito exagerado falar assim de um líder como Amílcar Cabral, ele é um filho como qualquer filho da Guiné e Cabo Verde na altura e muito cedo tomou o compromisso junto com seus camaradas de pegarem as armas e lutar contra o colonialismo Português, a luta não significa só pegar as armas e lutar,mais também de criar ideias construtivas para o período pós independência. No entanto eu como Guineense com todo respeito, A.Cabral será um grande homem para todos os Guineenses porque a sua contribuição é inquestionável.

  17. Francisco diz:

    Na minha visão, não se trata de santidade ou não, mas sim da verdade. Nada muda o fato da liderança de Cabral, ele foi um líder incontestável, o responsável pela independência de Guiné e Cabo-Verde mas como todos sabemos o Cabral é humano e todo humano é sujeito a erros e falhas. Porém na história do Cabral só se fala das perfeições, fato que eu sempre questionei! Na minha análise, se pegarmos as histórias dele que são todas perfeitas, dificilmente ele morreria da forma que morreu, Assassinado pelos seus próprios homens. Muito embora que o Jesus foi vendido pelo seu próprio disciplo. Porém nas histórias de Cabral está claro que tem muita coisa escondida, po isso é bom ouvir pessoas que possam contar fatos novos e pensar, interrogar e discutir a cima destes. Na minha visão faz sentido sim as declarações do historiador guineense.
    Não gostaria que essa discussão findasse apenas na troca de mensagens pelas redes sociais,
    e sim que alguém ou instituição promovesse algum debate a respeito do assunto.Isso é muito importante para esclarecimento da nossa história.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.