Ex-deputado da ANP disse que não existe Estado na Guiné-Bissau

Sede da Assembleia Nacional Popular da Guiné-Bissau

Bissau (PNN, 17 de Setembro de 2013)  –  O antigo deputado da Assembleia Nacional Popular (ANP), Fernando Cá, disse que nenhuma pessoa ou entidade estrangeira pode fazer algo importante na Guiné-Bissau sem a participação séria dos próprios guineenses.

Em declarações à rádio guineense «Pindjiguiti», o ex-deputado luso-guineense Fernando Cá adiantou que, na Guiné-Bissau, não existe Estado porque este se encontra «de rastos», pelo que será necessário acompanhar o país durante um período, de forma a reorganizar o Estado guineense.

«Não enganemos as pessoas, na Guiné-Bissau não existe Estado, pelo que devemos conjugar os nossos esforços para acompanhar o país durante um certo período, até haver um Estado organizado», disse Fernando Cá, que também é Presidente da Associação Guineenses em Lisboa e activista dos direitos humanos.

Em relação aos quadros guineenses formados no estrangeiro, o antigo parlamentar defendeu que «esta situação não deve influenciar o regresso dos quadros nacionais que foram formados para trabalhar no desenvolvimento do país», referiu, assegurando acreditar num futuro melhor para a Guiné-Bissau, onde um dia vai funcionar a justiça.

9 Responses to Ex-deputado da ANP disse que não existe Estado na Guiné-Bissau

  1. binham diz:

    Verdade mais que verdade e opiniao realista

  2. Mario Carempul diz:

    Esta tudo dito, nao vale a pena acrescentar mais algo: E urgente que a ONU assume os destinos daquele pais, se realmente querem ajudar o pais e o sacrificado povo guineense… Se nao corremos o risco de continuar, nas transicoes seguidas de transicoes, e eleicoes seguidas de eleicoes..

  3. Donkuro Mbalo diz:

    este gaizo eh um frustrado…. so defende a Guine quando forem os pepeis a mandar… ele que cala a boca e espera a sua reforma pelo estado portugues

  4. nos que temos devender a nissa patria

  5. Dingana diz:

    um dia, vamos esquecer de tudo.

  6. Bardade pa Conta diz:

    Irmão Mbalo, compreendo que realmente este gazo é um frustrado incompetente e que nem consiguiu termenar o curso de medicina que foi tirar em Portugal, e so fala asneiras, se calhar esta mais na camaradagem com nhô danada CADOGO. Não se pode imaginar declarações tão banais e banalizado de um homem que se reclama ser um Dr em nada. «Não enganemos as pessoas, na Guiné-Bissau não existe Estado, pelo que devemos conjugar os nossos esforços para acompanhar o país durante um certo período, até haver um Estado organizado», disse Fernando Cá, que também é Presidente da Associação Guineenses em Lisboa e activista dos direitos humanos.Significa que este gazo esta a sonhar um dia GB passa ser um protetorado das Nações Unidas e logo que Portugal venha com este Senhor como um dos Administradores possiveis. kila i mi tida nhô Fernando bu na bai nan termina bu curso de madicina, djintis ké bai scola na Guiné qui mais bô, hé djiu demais!

  7. NO MUDA MENTALIDADE diz:

    Somos irmaos,mas,A Guiné-Bissau acima de tudo!
    Devemos juntar toda a nossa preocupação,todas as nossas
    ansiedades em conjunto com todas as vossas dúvidas de que a Guiné-Bissau nao pode sair desta situaçao.Quem sabe o tempo nos faça percorrer caminhos diferentes, mas o destino fará com que nos encontremos no mesmo lugar.”A Guiné-Bissau”.
    De uma vez por todas – a Ele;Devemos ser fortes e pensar no desenvolvimento,mas,isso começa por uma mudança de mentalidade de nos proprios guineenses,respeitando a nossa Naçao!Parem com pessimismos.O Fernando Ca deve ter a dupla nacionalidade,por isso nao preocupa com este tipo de declaraçao.

    Ele cuida de vós afeiçoadamente e cuida de

    vós vigilantemente.”

  8. NO MUDA MENTALIDADE diz:

    E so hoje que o sr.Fernando Ca sabe que a Guiné-Bissau nao é um ESTADO?…
    Mas,que tipo de infelicidade é essa?…

Responder a NO MUDA MENTALIDADE Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.