UA tem sido preponderante para solução de conflitos em África

Bandeira da União Africana

Luanda (Angop, 24 de Setembro de 2013) –  O papel preponderante da União Africana (UA) para resolução dos conflitos armados no continente foi realçado terça-feira, em Luanda, pelo professor universitário Benedito Sipandeni, realçando que a organização tem através dos seus órgãos algo a dizer para acabar a guerra na RD Congo.

Para o docente universitário, a UA tem um papel importante a desempenhar para o fim dos conflitos em África, se conseguir eficazmente empregar os seus órgãos como o Conselho de Paz e Segurança (CPS) para materializar essa intenção.

Na opinião do analista, o que se tem  colocado, é a pouca capacidade da organização  mobilizar recursos quer económicos e financeiros quer humanos e materiais para sustentar o seu envolvimento na resolução desses conflitos.

“O problema muitas vezes está ali, porque a UA não consegue mobilizar apoios financeiros, outros recursos e tropas para resolver um determinado conflito, mas que em muitas situações vemos a União Africana a solucionar muitos casos como pacificador, integrando missões de Capacetes Azuis, no âmbito da ONU”, asseverou Benedito Sipandeni.

Sustentou que esse passo foi dado com a participação da UA na Somália (UNAMIS), no caso da RD Congo, onde está a missão da SADC com três mil homens, bem como na resolução do Conflito entre o Sudão e Sudão do Sul, onde a organização continental tem desempenhado eficazmente o papel de medianeiro.

Frisou que desde a sua fundação a UA teve sempre um interesse de resolver quer os conflitos quer os problemas candentes do continente, no entanto, o seu papel e os efeitos têm sido mitigados, por causa de várias carências que a organização vive. Citou o como exemplo o envolvimento da União Africana nas crises do Magreb (Tunísia,Líbia e Egipto), tendo a UA suspendido na organização, o actual governo egípcio formado pelos militares , considerando que a máxima instituição política do continente tem desempenhado o seu papel, concluiu.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.