Treze militares e guardas nacionais suspeitos da morte de chinês na Guiné-Bissau – PGR

Lusa (Bissau, 3 de Outubro de 2013) – A Polícia Judiciária e a Guarda Nacional da Guiné-Bissau detiveram 13 militares e membros da guarda nacional, suspeitos de envolvimento na morte de um cidadão chinês, disse à agência Lusa o Procurador-Geral da República (PGR), Abdu Mané.

Os 13 detidos estão em Gabú, no leste do país, em cujo tribunal regional vão hoje ser ouvidos por dois magistrados, referiu.

“O processo está sob a alçada do Ministério Público, que vai requerer ao juiz a prisão preventiva dos suspeitos para que se possam aprofundar as investigações sobre o que se passou”, acrescentou Abdu Mané.

Questionado pela Lusa sobre o facto de indícios de um homicídio recaírem sobre elementos das forças de segurança, o Procurador-Geral da República referiu apenas que “infelizmente” é essa a situação.

Um cidadão chinês foi baleado e faleceu a 25 de setembro no Hospitalar Militar de Bissau, depois de alegadamente ter sido abordado por um grupo de desconhecidos no leste do país.

A vítima foi transportada pela esposa para o hospital e acabaria por falecer.

De acordo com o relato da esposa, citada na altura pelo diretor clínico da unidade de saúde, o homem fazia parte de um grupo de madeireiros que atua em Masanco [Mafonco].

 

Nota do Editor de GBissau.com: os treze suspeitos foram transferidos ontem, 3 de Outubro para a cidade de Gabú, mas neste momento o Tribunal Regional de Gabú está a negociar com as autoridades militares daquela cidade sobre as medidas de segurança necessárias para o arranque do julgamento.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.