Militares dizem que a decisão do reforço da ECOMIB cabe ao Governo

Chegada das tropas de Burkina Faso - 17 de Maio de 2012 | Foto: UNOGBIS

Bissau (VOA, 26 de Novembro de 2013) – O secretário-geral da ONU pediu ao Conselho de Segurança que considerasse reforçar a força da CEDEAO na Guiné-Bissau.

As Forças Armadas consideram que é o governo que deve decidir se vale ou não a pena reforçar o contingente militar da CEDEAO no país, perante o delicado processo eleitoral em curso.

Enquanto se aguarda a reacção oficial do governo ao relatório do representante especial do Secretário-geral da ONU  ao Conselho de Segurança, o brigadeiro-general, Daba Naualna, porta-voz do Estado-Maior, afirma que a matéria é da responsabilidade do governo.

Naualna apresentava em conferência de imprensa quatro indivíduos que são acusados de praticarem assaltos à mão armada e agressões nocturnas, disfarçados em militares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.