Ramos-Horta classifica processo de transição como «frustrante e lento»

Bissau (PNN, 27 de Novembro de 2013) –    O Representante Especial do Secretário-Geral das Nações Unidas na Guiné-Bissau responsabilizou o Governo de transição pela realização das eleições Gerais a 16 de Março de 2014, quando falava no Conselho de Segurança, em Nova Iorque.

José Ramos-Horta discursou esta ter¬ça-feira, 26 de Novembro, tendo classificado como «frustrante e lento» o processo para a restauração da ordem constitucional na Guiné-Bissau, depois do golpe de Estado militar de 2012. A reestruturação tem passado por sucessivos adiamentos, e um clima generalizado de medo.

«A chave para um rápido retorno à ordem constitucional deverá ser a garantia de realização de eleições credíveis e pacíficas a 16 de Março de 2014», disse o Nobel da Paz, ao apresentar o relatório do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, sobre esta matéria, bem como um documento acerca das actividades do UNIOGBIS no país.

One Response to Ramos-Horta classifica processo de transição como «frustrante e lento»

  1. kady diz:

    Eu, quero so fazer um pergunta sera que os Agentes ligado ao droga nao vao prende nhu Ntony cu se equepas.
    obrigada

Responder a kady Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.