VIII Congresso do PAIGC elege seus três vice-presidentes em Cacheu

Sede do PAIGC em Bissau

Novos Desenvolvimentos:

  • Presidente do PRS felicita eleição de Domingos Simões Pereira
  • Carlos Gomes Júnior reage à eleição de Domingos Simões Pereira
  • Nova liderança no PAIGC é positiva, mas prioridade são eleições – O representante da União Europeia (UE) em Cabo Verde

Bissau (GBissau.com*, 11 de Fevereiro de 2014) – O oitavo Congresso ordinário do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) procedeu na segunda-feira à eleição dos três vice-presidentes que vão ajudar o recém-eleito líder do partido, Domingos Simões Pereira.

Os três vice-presidentes são, designadamente, Carlos Correia, Hadja Satu Camará e Baciro Djá, noticiou a Rádio Difusão Nacional, a emissora pública nacional da Guiné-Bissau.
Entretanto, de acordo com a agência noticiosa PNN, o antigo líder do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), Carlos Gomes Júnior, considerou Domingos Simões Pereira, eleito líder do partido no domingo, dia 9, a pessoa certa para unir a família partidária e para a estabilidade da Guiné-Bissau.

Numa reação à eleição do ex-secretário Executivo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), na Cidade da Praia, onde se encontra desde Novembro, Carlos Gomes Júnior felicitou a mesa do 8/o Congresso pela condução dos trabalhos, bem como os seus colaboradores, os militantes do partido e também Domingos Simões Pereira, que apoiou publicamente nesta corrida.

E a nivel nacional, o Partido da Renovação Social (PRS) felicitou o novo líder do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), Domingos Simões Pereira.

Numa carta de 10 de Fevereiro, o partido disse ter conhecimento do expressivo ato de votação que ditou a eleição de Domingos Simões Pereira para Presidente do PAIGC e acrescentou estar disponível para a partilha política com a nova direção do PAIGC, visando encontrar soluções urgentes para a grave crise que a Guiné-Bissau atravessa.

Entretanto, em Cabo Verde, o representante da União Europeia (UE) naquele país considerou na segunda-feira que a escolha de um novo presidente do principal partido político na Guiné-Bissau é positiva, mas defendeu que a prioridade continua a ser a realização das eleições, noticiou a agência angolana de informação, a Angop.

Em declarações aos jornalistas após um encontro com o primeiro-ministro cabo-verdiano, José Maria Neves, o diplomata português José Manuel Pinto Teixeira notou que a UE continua “obviamente preocupada” com o processo político e eleitoral guineense e que a eleição de um novo líder no Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) é positiva.

O PAIGC elegeu no domingo o ex-secretário-executivo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) Domingos Simões Pereira como novo presidente do partido que, nos últimos 12 anos, foi liderado por Carlos Gomes Júnior, o primeiro-ministro deposto num golpe de Estado a 12 de Abril de 2012.

Para Pinto Teixeira, a reforma dos sectores da Defesa e Segurança na Guiné-Bissau é “essencial” para a estabilização futura do país, uma vez que, considerou, não tem sido por falta de eleições que os problemas deixaram de existir.

**Com outras agências de informação

One Response to VIII Congresso do PAIGC elege seus três vice-presidentes em Cacheu

  1. SINAL POSITIVO

    Quero antes de tudo sublinhar a minha satisfação pela forma responsável como este Congresso decorreu. Os meus parabéns ao Sr. Domingos Simoes Pereira; os meus parabéns também ao Sr. Braima Camará pela forma responsável como reagiu, aceitando os resultados dos delegados deste Partido Histórico (PAIGC). Espero que os responsáveis deste partido não fiquem por aí. Que reconhecam um dia que há uma necessidade enorme de continuar a reestruturar este PAIGC (assim como outros partidos existentes na Guiné). Pois é necessário criar comissões dentro do seio do Partido, capaz de darem respostas aos imperativos necessários do palco político guineense. Eu quero dizer com isto que criem comissões para assuntos económicos, para assuntos jurídicos, para desenvolvimento regional, para defesa do território, das relações exteriores (especiais para EUA, Uniao Europeia, CPLP, Países da Sub-região africana, China, Singapura, Rússia, etc. etc.) com pessoas conhecedoras da matéria.

    A definicao duma estratégia de desenvolvimento sócio-económico para a Guiné, ligada a uma política de investimento bem clara, dar-nos-ia uma claridade e estímulo para mais e melhores investimentos que os momentos actuais exigem nos diferentes sectores da sociedade guineense. Que o papel das Alfândegas (um exemplo entre muitos outros sectores estatais) sejam bem definidos, com taxas de importacao bem claras e fixas, para que o importador saiba que, comprando um produto “X” no exterior, deve pagar uma taxa “Y” bem fixa e clarificada nas Âlfandegas da Guiné-Bissau; devendo os pagamentos serem pagos apenas numa tesouraria central, criada e controlada para o efeito. Estou a falar destes aspectos ligados à estruturas partidárias, porque sao elementos estruturais que nao encontramos nos partidos guineenses. E, sao esses que pretendem sempre dar „directrizes“ concretas a vida sócio-política, económica, jurídica e de relacoes internacionais da Guiné quando assumirem o poder. Por isso acho que os responsáveis dos partidos políticos guineenses devem comecar a reestruturacao na própria casa, nas estruturas dos próprios partidos, sem esquecer que urge dinamizar a cultura da implementacao dos poderes locais, regionais,…(autarquias, municípios, etc..

    Estes dias estao a demonstrar-nos que estamos a viver momentos de euforia. É um bom sinal! Espero que as pessoas nos compreendam. Dormimos e levantamos com a ansiedade de ouvir os sons dos Sicôs, as toadas de Djambadons, as vindas de DJUMMÊS, anunciando novas esperancas prometedoras nos nossos olhares e anseios.

    ESTAMOS COM SEDE E FOME por falta de ausências de REGRAS-DE-JOGO BEM DEFINIDAS, ESTRUTURADAS, DENTRO DUM QUADRO PROMETEDOR QUE NOS OFERECE MAIS E MELHORES HORIZONTES, PERSPECTIVAS PARA UM DESENVOLVIMENTO EQUILIBRADO, onde a harmonia, justica, paz duradoura e diálogo impera e nos une todos.
    Que ninguém tenha medo de algo novo positivo, renovador; que as estruturas novas, dinâmicas e boas sejam bem vindas. Esperamos que os momentos marcantes inovadores nos tragam apenas paz, desenvolvimento, regras claras e harmonia.

    Higídio Fernandes
    Ludwigshafen/Alemanha

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.