Conselho de segurança da ONU debate relatório sobre Guiné-Bissau

Organização das Nações Unidas (ONU)

Nova Iorque (Lusa, 26 de Fevereiro de 2014) – O Conselho de Segurança das Nações Unidas reúne-se hoje para debater as conclusões do último relatório sobre a Guiné-Bissau, que refere violações de direitos humanos e pede maior esforço na luta contra a impunidade.

O representante especial da ONU para a Guiné-Bissau, José Ramos-Horta, vai participar na reunião a partir da capital guineense, Bissau, via teleconferência.

No encontro, falará também o embaixador do Brasil na Organização, António Patriota, que esteve no país em janeiro findo, um representante da CPLP e um representante da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC).

A Lituânia, que preside este mês o Conselho de Segurança, fará no final dos trabalhos uma declaração com as conclusões.

O último relatório da ONU, divulgado este mês, confirma que a situação de segurança no país permanece “estável”, mas refere que durante o período em análise (desde 19 de novembro) “não houve processos significativos no que respeita à defesa dos direitos humanos e luta contra a impunidade”.

ONU quer um novo cronograma eleitoral resolvido com “urgência” e “flexibilidade” 

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, quer um novo cronograma eleitoral da Guiné-Bissau resolvido com “urgência” e “flexibilidade” por parte de todos os intervenientes, refere no último relatório sobre o país a que a agência Lusa teve hoje acesso.

O relatório, que data de 14 de fevereiro, vai ser analisado esta quarta-feira, pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas em Nova Iorque, num encontro em que o representante especial da ONU para o país, José

Ramos-Horta, vai participar a partir da capital guineense via teleconferência, disse uma fonte da organização à Lusa.

O presidente de transição da Guiné-Bissau, Serifo Nhamadjo, já adiou as eleições gerais para 13 de abril, mas ainda não são conhecidas as datas para as outras fases do processo, como a entrega das candidaturas, a publicação das listas e cadernos eleitorais ou mesmo da campanha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.