Promovidos oficiais superiores do Ministério do Interior

Bissau (PNN, 25 de Fevereiro de 2014) – O Governo de transição, através do ministro do Interior António Suca Ntchama, promoveu no dia 25 oficiais superiores, subalternos, sargentos e praças (coronéis), tenentes-coronéis, majores, capitães, tenentes, alferes e cabos.

A cerimónia teve lugar nas instalações do Ministério do Interior, na presença de familiares, amigos e conhecidos.

Dirigindo-se à assistência, António Suca Ntchama disse que o ato representa apenas uma exibição pública das insígnias, uma vez que, entre os agora promovidos, todos já recebiam salários correspondentes a essas categorias, e anunciou também, para breve, outra ação de promoção de efetivos não  nomeados.

7 Responses to Promovidos oficiais superiores do Ministério do Interior

  1. Proff diz:

    este não é aquele senhor dos refugiados ?
    será que já resolveu problema com ministerio publico para estar numiar outras pessoas .
    que falta de vergonha .

  2. zosky diz:

    Os intocaveis que demissionam em simples frases para enganar o povo e que continua nas suas funçoes é so na GUINE BISSAU.

  3. Nito Bernardo Vieira diz:

    O intocáveis é Carlos Gomes Júnior refugiado em Costa de Marfim,Portugal e final em cabo Verde(Praia) agora passa a ser chamado MANDJACU como os cabo-verdianos chamam estrangeiros.

  4. Barde i pa Konta diz:

    Nito, você não sabe o que estás a dizer. Se o Carlos Gomes fosse o intocável não estaria em Cabo verde neste momento. Ou não conheces o significado da palavra intocável? Te mendo um dicionário por E-mail.

    Um abraço.

  5. Abo que Bim diz:

    A promocao destina-se a premiar os responsaveis e os coniventes no roubo do dinheiro destinado ao pagamento dos salaries aos funcionarios do Ministerio do Interior. Como e possivel acontecer um roubo daquela natureza e envergadura entre o gabinete do Ministro e do DAF e o crime ainda nao ter sido descoberto??? Agora aparecem as patentes para silenciar as pessoas. Tanta macacada. Mas, atencao que as eleicoes nao ira falhar e com os resultados vira o combate a corrupcao e impunidade. Estejam alertas. Esta no fim o reino da corrupcao e impunidade e toda a equipa dos corruptos e seus capangas responderao um dia perante a justica. A maior arma, superior do que os bazucas, e a revolucao popular e ja esta esta quase. O Cunfentu da Guine-Bissau qualquer dia ira comecar como a Primavera Arabe. For a os ladroes e assassinos.

  6. zosky diz:

    Muito obrigado por estas repostas ao senhor Nito Vieira,eu nao queria responde-lo e nem tenho tempo a perder com ele.Simplesmente tudo o que se escreve aqui da uma troca de ideias e se pode mudar o comportamento dos nossos dirigentes melhor sera nao é? Tudo o que estamos a lamentar sobre a Guiné Bissau penso que é bem nornal porque ninguem deseja ver o pais nessa situaçao. O senhor Nito esta em Cabo verde a fazer o que? Seria melhor que viesse viver conoscos aqui apreciando assim a melhor situaçao da Guiné.Espero que desta vez os nossos militares ganham uma boa consiencia e que nao deixem ser manipulados por alguns oportunistas como no passado.Se foi assim que se toma a indepencia para mim nao era nescessario.

  7. Só acontece naquele lugar sem lei,por vossa causa o país se encontra nessa situação, e hoje estamos todos a pagar pela vossa infinita ignorância. Único bípede que não conhece as leis,ou seja não as respeitas fazem coisas dessas,não vos disseram que são exclusivamente de transição,que é só para gerir o país,ó seu burro tu não podes estar a promover,fazes porque, o presidente de transição fez e eu também posso fazer mas uma coisa eu te digo, veja mas, não faça nada o que os maléficos fazem. Não têm considerações para com o povo,mas costuma-se dizer que na selva há chefe, «mas santchos na mato tem rei».Mas uma questão eu gostaria de lhe perguntar,essas promoções foi só para os blufundam?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.