Ramos Horta diz que eleições na Guiné-Bissau não podem ser adiadas

Bissau (VOA, 26 de Fevereiro de 2014) – Ramos-Horta pediu uma resposta robusta do Conselho de Segurança para as tentativas de minar as eleições gerais no país.

O representante especial do secretário-geral da ONU  para a Guiné-Bissau disse terça-feira ao Conselho de Segurança das Nações Unidas estarem criadas as condições técnicas para a realização de eleições gerais a 13 de Abril e que não se devem considerar mais adiamentos.

Ramos-Horta pediu uma resposta robusta do Conselho de Segurança para as tentativas de minar as eleições gerais naquele país.

Ao intervir hoje na reunião do Conselho de Segurança da ONU sobre a Guiné-Bissau via vídeo-conferência a partir da capital guineense, Ramos-Horta considerou um recorde “surpreendente e impressionante” o desfecho do recenseamento para as eleições marcadas para 13 de Abril.

Os dados provisórios pontam para o registo de mais de 770 mil pessoas, o que corresponde a pelo menos 95% da população de eleitores potenciais.

3 Responses to Ramos Horta diz que eleições na Guiné-Bissau não podem ser adiadas

  1. david diz:

    Isso mesmo O povo ja esta muito cansado e queremos eleicoes, assim para podermos entrar ja para execucoes dos projectos tracadas na transicao e comecar desenvolver o pais

  2. liz diz:

    Ferro Ferado Firme.Abaixo adiamento,Abril 13,,Take it or Leave it.bai bai

Responder a liz Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.