“ONU não é solução para problemas da Guiné-Bissau” – José Ramos-Horta

Organização das Nações Unidas (ONU)

Bissau  (Rádio Pindjiguiti, 11 de Março de 2014) – O Representante Especial do Secretário-Geral das Nações Unidas para a Guiné-Bissau (RSSG), José Ramos-Horta, disse ontem, segunda-feira, que a ONU não é a solução para os problemas da Guiné-Bissau.

Falando aos jornalistas em Bissau, à margem da reunião de informação e sensibilização sobre a preparação de um novo acordo de envolvimento de Estados Frágeis e respondendo à algumas vozes que defendem a tutela do país pela Organização mundial, Ramos-Horta afirmou que a ONU pode simplesmente ajudar o país através das autoridades eleitas.

“A ONU não é a solução para os problemas da Guiné-Bissau. A ONU pode simplesmente apoiar a liderança guineense que sair das eleições. Uma liderança simples, humilde, com visão e coragem, que comunga os princípios que todos nós partilhamos, de boa governação, de tolerância, de inclusividade, não deixando ninguém de fora”.

“Tenho ouvido dizer tutela da ONU durante 5, 10, 15, 20 anos. Não é necessário, não seria a solução. Alguns falam de forças da paz, vemos tantas forças de paz no mundo. Portanto, a situação por exemplo, no Afeganistão, Mali e na República Centro-Africana continua problemática”, referiu.

Este Prémio Nobel da paz anunciou por outro lado que, o seu mandato, que devia terminar a 9 de Fevereiro último, foi prolongado para até Junho, depois do processo eleitoral.

3 Responses to “ONU não é solução para problemas da Guiné-Bissau” – José Ramos-Horta

  1. Aliu Danfa diz:

    O papel da ONU nao é governar, isto todos sabemos, mas sim ajudar a reorganizar o aparelho do Estado de modo a conseguir por na pratica o principio da separaçao de poderes e da mutuo respeito. por exemplo no caso da Guine é conseguir que o poder polotico respeita o poder judicial que as forças armadas subordinam a entidade a que devem, que as foças de segurança e ordem publica exerçam os seus deveres, mas tambem ao nivel politico ser promotor do dialogo e acçoes necessario a consolidaçao democratico portanto se for bem equacionado a ONU tem lugar e é util para a governaçao dos estados frageis

  2. Lénine diz:

    Nao nos diga isso favor como foi em TIMOR ? nao foi a ONU ? o senhor pensa que é espertinho vai te foder no lixo.

  3. Junior diz:

    Na verdade e assim; só os próprios guineenses e que serão capazes de resolver definitiva os problemas do Pais, através de um dialogo franco transparente com espírito de reconciliação nacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.