Ramos-Horta faz balanço “positivo” do período de transição

Bissau (ANG, 10 de Abril de 2014) – O Representante Especial do Secretario Geral das Nações Unidas para a Guiné-Bissau, José Ramos-Horta, classificou de “satisfatório” o balanço dos dois anos do período de transição prestes a findar com a eleição de novas autoridades nacionais no dia 13.

“Pode-se dizer que o processo eleitoral tem decorrido bem, apesar de alguns incidentes de percurso que condenamos”, disse aos jornalistas.

De acordo com Ramos-Horta, o processo de recenseamento foi um “sucesso, com o registo de 95.6 por cento de eleitores”, disse, acrescentando esperar que um número igual ou próximo de votantes venha a exercer o seu direito cívico no dia 13.

O Representante de Ban Ki-Moon para a Guiné-Bissau congratulou-se com os esforços feitos pelas autoridades civis, militares, religiosas e comunidade internacional para a normalização constitucional, e realçou os contactos pessoais e telefónicos havidos no sentido de que a votação decorra com a máxima segurança: “Fui assegurado por todos de que vão honrar os resultados que venham a ser confirmados pela Comissão Nacional de Eleições”, concluiu.

UNIOGBIS doa equipamentos aos média para cobertura eleitoral

O Representante Especial do Secretário-geral das Nações Unidas para a Guiné-Bissau, José Ramos-Horta, presidiu ontem a cerimónia de entrega de equipamentos de trabalho aos média do Estado e privados do país, para uma melhor cobertura das eleições gerais do próximo domingo.

Segundo o comunicado da UNIOGBIS a que ANG teve acesso, os equipamentos oferecidos compreendem motorizadas, computadores portáteis, ecrãs suplementares, impressoras multifunções, gravadores digitais, microfones, auriculares, câmaras de televisão e fotográficas.

Vinte e três média e 63 jornalistas foram abrangidos pela oferta, de que uma parte foi hoje entregue aos beneficiários, devendo a restante ser entregue posteriormente.
Os equipamentos doados custaram 200 mil dólares ao Fundo das Nações Unidas para a Consolidação da Paz (PBF).

5 Responses to Ramos-Horta faz balanço “positivo” do período de transição

  1. Lénine diz:

    Favor senhor Ramos Horta esta transiçao foi das piores que o mundo viu,tas com a vergonha de quem? chame as coisas pelo nome nao foi bom nesta transgolpe…….
    Espero que tenhais a coragem de observar bem as eleiçoes

  2. Guineense diz:

    Ramos Horta can @#$@#$#. He is either blind, dumb or living in a different country. How can one on his clear mind would make such a statement? Thanks God he is going back to his own country, as we have enough dumb and stupid folks of our own in Guinea-Bissau. This amounts to treason in any other part of the world….

    Thank you a lot for your work; you were a major disappointment to the Bissau Guinean peolpe. Have a safe trip back to where you belong. One day the truth will prevail.

  3. upelu kituk diz:

    Dr Horta dà tristesa que um premio nobel nao seja capaz de chamar o DIABO pelo seu nome. Transiçao positiva? de què transiçao falas Dr Horta ? Positiva com Nacionais impedidos de retornar a sua patria? de positivo com civis atè Ministros ameaçados e espancados, alguns mortos pelos milicianos (Militares. De ositivo com incremento excessivo de miseria, corrupçao, abuso de poder, falta de salario, greves, Narcotrafico etc e etc…..
    Ramos Horta! a quem intentas enganar ou que pertendes com essas mentiras? Recorda que ser premio nobel de paz nao è sinonimo de premio nobel de mentira.
    ESSA TRANSIÇAOÊ O PIOR QUE O PAÎS CONHECE AO LONGO DA SUA TRISTE HISTORIA.

  4. justino pedro lima diz:

    Será que para Ramos Horta, o período de transição à indepencia de Timor Leste, sob a gestão da Indonesia, foi positiva, para nós, guineenses, positivo seria que a comunidade internacional, reagisse em moldes do que aconteceu no Mali, sob comando da França. neste momento, estaríamos há já quase um ano de reconstrução do nosso infeliz país que durante decênios foi sempre empurrado para o ultimo plano no contexto das nações.

  5. zosky diz:

    O DR.RAMOS HORTA SE POSISIONA SEMPRE AO LADO DOS NOSSOS BANDIDOS ARMADOS. ESTOU DE ACORDO COM O JUSTINO PEDRO LIMA COM ESTA ANALISE SOBRE O MALI.NA GUINE NAO TEMOS INTEGRISTAS RELIGIOSAS MAS TEMOS INTRGRISTAS FANATICOS DAS ARMAS UTILIZADAS CONTRA O POVO. A SEGUIR….

Responder a zosky Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.