Guineenses optimistas quanto ao futuro — Agência noticiosa estatal, ANG

Bissau (ANG, 28 de Maio de 2014) – Os guineenses estão optimistas quanto ao futuro do país, depois da eleição do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) e do seu candidato, José Mário Vaz para dirigir os destinos do país nos próximos 5 anos.

Ouvidos hoje pela Agencia de Notícias da Guiné, o sindicalista Domingos Djamé, o comerciante Alfa Djaló e o professor Sanassi Baio todos manifestaram-se esperançados de que o novo executivo será capaz de proporcionar uma mudança positiva.

Estes cidadãos dizem basear seu optimismo no apoio que a comunidade internacional deverá disponibilizar a favor deste governo democraticamente eleito.

Assim, o conselho do professor Sanassi Baio para o futuro governo do PAIGC deve priorizar a Saúde, Educação e a Agricultura por serem sectores chaves para o desenvolvimento de uma sociedade.

“A expectativa é muito grande, por isso, logo no inicio, o governo deve fazer algo de positivo para continuar a merecer a confiança do povo”, aconselhou Sanussi que passou a enumerar as prioridades do executivo, nomeadamente pagamento dos salários em atraso na função pública e o atendimento das exigências dos sindicatos do sectores da Educação e Saúde.

Já o sindicalista realçou o clima saudável de relacionamento que existe entre o Presidente da República, José Mário Vaz e o primeiro-ministro, Domingos Simões Pereira.

“Além de pertencem a mesma família política, são figuras com características de diálogo e capazes de garantir estabilidade governativa no país”, elogia Domingos Djamé.

Por sua vez o comerciante Alfa Djaló acredita que o próximo executivo será capaz de tirar o país e a sociedade guineense na difícil situação em que se encontra.

“Estamos optimistas que o governo, vai engajar no sentido de, por exemplo, concluir a obra do mercado central de Bissau como forma de dignificar as actividades dos comerciantes guineenses”, desejou.

Entretanto, a estudante Surama Rezende Costa não augura nada de bom no relacionamento entre o Presidente da República e o Primeiro-ministro, devido a intrigas de bastidores promovidas pelos respectivos staff.

“O PAIGC é uma formação política com problemas internas, traduzidas em sucessivas divergências por causa de figuras a indigitar para o elenco governativo”, advertiu.

 

ANG/ LPG/ BI

4 Responses to Guineenses optimistas quanto ao futuro — Agência noticiosa estatal, ANG

  1. Olho de Hórus diz:

    A constituição da Guiné-Bissau e de Portugal ou de Cabo Verde, são iguais. O Primeiro-ministro (PM) é que escolhe os elementos que farão parte de ministros e Secretários de Estado, e apresentando a lista ao Presidente da República; este por sua vez, analisar a proposta. Se há algum nome que não concorda, devolve a proposta ao PM que deve escolher outra pessoa. Não como faziam os falecidos: Nino Vieira, Kumba Ialá e Malam Bacai Sanhá. Eles obrigavam o PM a aceitar nomes propostos por eles mesmo; é distorção da constituição…

  2. Olho de Hórus diz:

    Como todos nós damos de cegos, eles andavam a violar a constituição ao seus gostos e nós fingimos não ver…

  3. upelu kituk diz:

    Que bom pensar dessa forma. Todos estamos optimistas com essas dois figuras eleitas no paìs, o que lhes aconcelho è trabalhar arduamete em prol do desenvolvimento socio-econimico do paìs.Os joves jovens da GB apostaram as suas confianças em vocês è pos isso a responsabilidade de cada um è velar por interesses da naçao. O futuro desse paìs depende de uma boa gestao de cada membro desse governo.
    Para o sr DSP 1º Ministro agradecemos formar um governo de base alargada de quadros qualificados com sentido de responsabilidade social como paìs. Leva em conta sò a preparaçao academica de cada membro desse novo governo e nao da sua afiliaçao politica social cultural religiosa ou familiar (amiguismo). Guine è um paìs de intrigas calunias e difamaçoes …. por favor mudemos essas mentalidades para o bem de todos

    VIVA GUINE

  4. Tio Kapadur diz:

    Tenho dúvidas relativamente ao nível de otimismo que temos para com estes governantes.
    Mas lanço um desafio a todos enquanto grandes quadros do país:
    Que tenham coragem de decidir mudanças nas forças armadas, justiça e função pública em geral.
    promover as compenetrais e não mediocridade

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.