Opinião: Justino Delgado a nossa Estátua!

Mussá Baldé, Jornalista

Confesso que não tenho muitas ligações pessoais ao cantor Justino Delgado mas ainda assim não deixo de ser um dos seus grandes fãs. Conheço de cor e salteado quase todas as mil músicas que este grande compositor, musico, intérprete e entertainer já brindou os guineenses e não só ao longo dos seus 35 anos de carreira. Trago estas linhas a propósito do seu novel opus, Estatua, que me chegou às mãos na noite de sábado, dia em que o colocou à disposição do grande público em Bissau.

Por Mussa Baldé, Jornalista

É um trabalho que marca o regresso do grande Justino que todos nós conhecemos e gostámos. Costumo dizer que não há um único guineense que não goste das músicas do Juju. Em todas as casas de cada guineense dentro ou fora do solo pátrio há um disco, um CD uma pen drive com as músicas do Justino.

Ele é seguramente o guineense mais ouvido em termos musicais. Esta nova obra, Estátua, traz um Justino de sempre. Atento à sociedade, intérprete das aspirações e angústias do seu povo, mas também um Justino crítico político e social, fruto talvez, da sua passagem pelas esferas do poder como ministro-conselheiro do Presidente de Transição.

Justino Delgado - "Estátua" [2014]  - Capa

Justino Delgado – “Estátua” [2014] – Capa

Os 14 temas do álbum Estátua juntam as novas sonoridades aos ritmos tradicionais da velha Guiné ainda dos tempos do antanho, lembrando as interpretações dos anos de 1990 quando o cantor dava os primeiros passos na banda Africa Livre na Guiné-Bissau e em Portugal.

O álbum Estátua vem comprovar o aspeto multifacetado e cada vez mais internacional do Justino Delgado.

A par dos Tabanka Djazz, Justino Delgado é o cantor guineense com maiores faculdades para interpretar músicas de outras latitudes com propriedade aceitável. Assim, trouxe-nos três excelentes Sembas, lembrando a sua longa e inquestionável amizade com Angola, um quentíssimo Funana e (grande novidade) uma suavíssima Rumba Congolesa revelando cada vez mais a sua pretensão de se internacionalizar, isto é, seguindo o caminho que está a ser tomado pelas grandes vedetas da música do mundo. O cantor que se ficar apenas na interpretação da música do seu país arrisca-se a ser reduzido à insignificância. Parece que o nosso grande Juju já percebeu isso. Ainda bem para ele e para nós que gostámos de vê-lo nos píncaros da fama e do reconhecimento internacional que tarda em chegar mas que merece há bué!

O opus Estátua também traz uma justa e merecida homenagem do cantor aos jogadores guineenses que o destino fintou pelos campos e ruas da velha Europa. Com esta homenagem cantada, Justino enfatizou mais vez a sua ligação aos homens da bola, grandes jogadores na Guiné mas que não teriam a sorte do seu lado quando se decidiram aventurar no futebol profissional.

Justino Delgado - "Estátua" [2014]  - Verso da Capa

Justino Delgado – “Estátua” [2014] – Verso da Capa

Justino Delgado brindou-nos igualmente com duas canções de outros álbuns, mas agora em novas roupagens, mas sem perder qualidade e melodia que são apanágios do cantor do povo: Saudade da Liberdade e Telefone Bom Dé. Volta a apelar ao compromisso com a causa nacional, um apelo válido para todos os guineenses, aqueles que se encontrem dentro ou fora do país.

Justino Delgado enaltece igualmente o facto de não pretender nunca trocar a sua Guiné com qualquer país do mundo por mais arrumado que possa ser. Pede aos irmãos guineenses emigrados para que tenham o mesmo sentimento. Lança um olhar ao debate político atual na Guiné-Bissau questionando a tão falada lei da amnistia geral aos autores de atos subversivos contra a República. Diz o cantor: Todos nós estamos entre a espada e a parede. E diz mais: Amnistia sem julgamento é preciso desconfiar! Só um à parte. Por tudo quanto já fez, já viu e ouviu de elogios e de reconhecimento dos guineenses creio que o Justino deve deixar de lado aqueles que o criticam. Deve simplesmente deixar de mandar farpas musicais aos seus detratores porque, como diz o também grande Zé Carlos Schwarz: Sibu sta dianti na luta kabu djubi traz, Passa dianti só”.

 

É a minha opinião apenas!

Mantenhas,

Mussá Baldé

 

Nota do Editor: Este artigo de opinião não reflecte necessariamente o ponto de vista da GBissau.com

10 Responses to Opinião: Justino Delgado a nossa Estátua!

  1. Ronize Pires diz:

    Ele é um grande musico até um dos melhores da Guiné, mas na minha opinião é pouco reputado para a representação da nossa amada cultura (que nos identifica).Os Guinéenses nunca podem tirar os sons das suas musicas da mente, desde pequeno eu tinha grande paixão pelo son e a melodia dele sem falar de uma voz encantadora. Mas cantar bem é uma coisa representar a identidade cultural de um povo é autra, Juju devia ser na Guiné como SALIF KEITA do Mali, YOUSSOU NDOUR do Sénégal, DIALIBA KOUYATE da Gambia… Um Musico que o povo devia escutar nos momentos dificeis. JUJU aida é tempo repara a sua reputação a Guiné precisa de si como conselheiro.

  2. Geraldinho Co diz:

    O incantante de todos, JD com alta personalidade musical inter e extra-continental. Desejo-te força na promução de musica moderna Guineenses não sei como posso te aplaudir com mas as palabras é isuficiente.
    Quer ou não quer é! Por isso apelo-vos simultaneamente para aplaudirmos Justino Delgado pois merece!

  3. N'tori Palan diz:

    Caro conteraneo Musa Balde, antes de mais, gostava de lhe parabenizar pelas suas cronicas e, salientar que tem muito jeito para o que tem feito, sobretudo em nosso criolo. Que me lembro, desde as famosissimas bandas desenhadas dos irmaos “Julhos” dos anos anos 80, com contos das fassanhas do N’tori e Mingon Bico, as suas cronicas acentam-se ao nosso quotidiano cultural e linguistico. Parabens!

    No tocante ao texto presente, gostava de lhe resalvar que, os passos do Justino na Musica, remontam a decada de 80 com a fomosa orquestra “Africa Livre” e, nao em 1990 como referiu.

    Baseando-me nesta sua passage:

    “A par dos Tabanka Djazz, Justino Delgado é o cantor guineense com maiores faculdades para interpretar músicas de outras latitudes com propriedade aceitável”.

    Na minha opiniao, sendo um guineense “orgulhoso” apesar dos pesares, gostava que os nossos artista mais conceituados, inclusive estes que referiu, que se dedicassem mais ao nosso ritimo de N’gumbe que possui vatidissimo fonts por explorer ao inves de se aventurarem em sembas, sambas, decaless e afins…, ate porque, nunca ouvi um caboverdiano ou angolano tentar um solo a N’gumbe. Opiniao meramente pessaol minha.

    Um grande abrasso!

  4. Zacarias Ferro diz:

    É Bom criar estatuas do Justino em todas as cidades da Guiné-Bissau!

    • nico diz:

      O porquê da estátua do JD em todas as cidades da Guiné-Bissau?
      Pense bem e é injusto para o maior de todos eles: O José Carlos. E o Alui Bari?

  5. Dauda André Embaló diz:

    Bom,eu estou em Cabo-verde todos os músicos internacionais que pisaram o solo Cabo-verdiano deram sows quase muita gente marcam a sua presença,mas eu nunca fui um único espectáculo nem o festival internacional da gâmboa. O único músico que fez-me deslocar da minha casa para puder assistir o seu espectâculo aqui na cidade da Praia foi o Justino Delgado! Foi momentos antes de golpe de estado de Abril de 2012.Mas partir dessa data nunca mais fui espectâculo dele,se vos dizer que foi o único músico que eu ouvia tanto nacional como internacional algumas pessoas podem não me dar razão, mas sim foi assim mesmo desde adolescente até véspras de golpe que derrubou um governo legitimamente eleito em 2012 desisti de acompanhar este músico que foi para mim a melhor voz que Guiné-Bissau tem no canto.Mas acima de tudo desejo ele sucesso na sua carreira,mas quero pedir a ele que faça os seus trabalho na legitimidade na constituicionalidade assim ele será um exemplo para a geração que quer seguir essa carreira tão melancólica…..

  6. FIDJU DE GUINÉ NA ESTRANGEIRO diz:

    N`tori Palan, contigo Concordo em gênero, numero e grau.

  7. Nautan Mancabu diz:

    Caro Balde,

    JD ” JUJU ” Nao so precisa de uma estatua como ja alerta de que deve ser feito tambem uma coisa importante que nao devemos esquecer, considero OS ALBUMS do JUJU nao so como musicas mas tambem LIVROS, HINO e outros …

    Ainda na minha opiniao considero JUJU como um substituto nato do Jose Carlos Shwartz. Nao tenho ninguem igual e ele.

  8. Hamadi ussumane Balde diz:

    força cara mais eu acho que deves trabalhar mais porque se nao os garotos vao lhe tomar o lugar ok abraço

  9. Aliu Buaro diz:

    Parabens♥ es o nosso maior idolo!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.