ONU optimista com conferência de doadores para a Guiné-Bissau

Especialistas das Nações Unidas e representantes de países-membros da organização manifestam otimismo com a realização de uma conferência de doadores para a Guiné-Bissau, marcada para o fim de março, em Bruxelas.

Nova Iorque (Rádio ONU, 9 de Fevereiro de 2015) – Especialistas das Nações Unidas e representantes de países-membros da organização manifestam otimismo com a realização de uma conferência de doadores para a Guiné-Bissau, marcada para o fim de março, em Bruxelas.

A conferência de doadores deve ocorrer entre 24 e 25 de março. Os integrantes da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) também anunciaram a participação na conferência.

A situação na Guiné-Bissau esteve em análise a semana passada durante uma reunião no Conselho de Segurança das Nações Unidas. O país africano de língua portuguesa busca o apoio da comunidade internacional para consolidar a nova fase democrática do país, que sofreu um golpe de Estado em 2012.

Nesta entrevista à Rádio ONU, o diretor do Escritório do Conselheiro Especial do Secretário-Geral para África (OSAA), Raul Cabral, comentou o recente encontro do subsecretário-geral da área Magde Abdelaziz com o ministro das Relações Exteriores bissau guineense durante a Cimeira da União Africana, em Addis Abeba.

“Ficou acordado que a OSAA daria o apoio necessário para ajudar a mobilizar os recursos necessários para ajudar a consolidar a paz e a estabilidade na Guiné-Bissau. Os recursos necessários que possam ajudar a promover o respeito pelos aspectos legais, criar e reforçar as estruturas legais no país.”

Segundo Raul Cabral, o momento é de esperança e otimismo. “Esse otimismo não é à toa. É baseado em factos concretos. A Guiné-Bissau através do seu governo legítimo, através do seu primeiro-ministro, do presidente e dos partidos tem vindo a dialogar. E tem vindo a fazer grandes progressos”.

O novo governo da Guiné-Bissau, liderado pelo primeiro-ministro Domingos Simões Pereira, tomou posse em meados do ano passado. Em setembro, ele compareceu à sede da ONU para representar o país nos debates da Assembleia Geral.

One Response to ONU optimista com conferência de doadores para a Guiné-Bissau

  1. Alexandre Garcia diz:

    Acreditamos que desta é a vez de a Guiné-bissau se afirmar definitivamente como uma nação independente, democrátoca e em vias de desenvolvimento. Eu sempre disse aos meus compatriotas que, na realidade, sofremos e muito com os vários casos e sobressaltos que o país atravessou ao longo da sua história, mas, não obstanmte a isto vale a pena acreditar, sobretudo nas novas autoridades, na juventude e no guineense em geral. Também digo sempre que “depois de Tsunami, vem o El-dorado”, ou melhor “depois da Tempestade, vem a Bonança”. Acreditemos, caros compatrícios – eu acredito!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.