Reunião preparatória da Conferência de Doadores: Discurso de Domingos Simões Pereira

O discurso do primeiro-ministro da Guiné-Bissau proferido esta segunda-feira, 9 de Fevereiro, durante a cerimónia de abertura da reunião preparatória da conferência de doadores,  em Accra, Gana.

Domingos Simões Pereira e o seu Governo preparam-se para a mesa redonda a ter lugar no próximo mês de Março em Bruxelas, Bélgica.

REUNIÃO PREPARATÓRIA DA CONFERÊNCIA DE DOADORES SOBRE A GUINÉ-BISSAU

(ACCRA, 9 DE FEVEREIRO DE 2015)

DISCURSO DE SUA EXCELÊNCIA SENHOR DOMINGOS SIMÕES PEREIRA, PRIMEIRO-MINISTRO E CHEFE DO GOVERNO DA REPÚBLICA DA GUINÉ-BISSAU

 – Excelência Senhora HANNA SERWAAH TETTEH, Ministra dos Negócios Estrangeiros e Integração da República do Gana e Presidente em Exercício do Conselho de Ministros da CEDEAO;

–  Excelência Senhora Represente do Presidente da Comissão da CEDEAO;

–  Excelência Senhor Chefe da Delegação da União Europeia na República do Ghana;

–  Excelências Senhores Ministros;

–  Excelências Senhores Representantes de Organizações Internacionais na Guiné-Bissau;

–  Excelências Senhores Embaixadores e Representantes de Organizações Internacionais;

–  Distintos Convidados;

–  Minhas Senhoras e  Meus Senhores,

 

É-me particularmente agradável saudar e agradecer a honrosa presença dos Representantes de países e organizações internacionais parceiras da Guiné-Bissau, neste encontro de preparação da Conferência de Doadores sobre a Guiné-Bissau, a ter lugar, no dia 25 de Março próximo em Bruxelas.

Permita-me agradecer as autoridades do Ghana pelo acolhimento caloroso e fraternal e por terem proporcionado condições excepcionais para o bom desenrolar dos trabalhos.

 

A realização desta reunião em Ghana, solo pátrio de Kwame N’Kumah,  reveste-se de um simbolismo particular para a Guiné-Bissau, por se tratar de um grande visionário de África, e  contamos com a sua inspiração para o sucesso dos nossos trabalhos.

 

Gostaria de aproveitar esta oportunidade para agradecer a Presidência e a Comissão da CEDEAO, pela realização desta importante reunião,  assim como a presença  de todos os parceiros internacionais de cooperação, nomeadamente  as Nações Unidas, a União Africana, a CEDEAO, a UEMOA, a CPLP, a UE, o Banco Mundial ,  o BAD e outros parceiros bilaterais aqui presentes.

 

Neste propósito, gostaríamos de contar com as preciosas contribuições de todos os países e organizações internacionais participantes neste encontro de Accra.

 

 

Minhas Senhoras e  Meus Senhores

A realização de uma Conferência de Doadores para qualquer país, é sempre um momento muito importante. No caso da Guiné-Bissau, ela pode ser determinante para o futuro de todo um país, de todo um povo e talvez mesmo de toda uma região.

 

Este mecanismo de diálogo é encarado com enorme expectativa pelo Governo na sua estratégia de mobilização de recursos externos para o financiamento do processo de estabilização e do desenvolvimento. Neste propósito, solicitámos o indispensável apoio de todos os parceiros multilaterais e bilaterais para o seu sucesso.

Assim, apresentamo-nos em Accra com o intuito de reforçar o processo de construção de uma parceria séria e robusta. Da nossa parte, estamos  animados pelos  vários desenvolvimentos mais recentes no país, tendo a destacar:

  1. a aprovação do programa do governo e o Orçamento Geral do Estado pela unanimidade dos membros do parlamento;
  2. o início de implementação da reforma do sector da defesa e segurança, particularmente com o apoio da CEDEAO, através da ECOMIB;
  3. a absoluta adesão de todos os órgãos da soberania nacional à nova visão estratégica para o desenvolvimento do país;
  4. a paulatina restauração da autoridade do Estado, nomeadamente pela submissão inequívoca das instâncias militares ao poder político;

 

O país vive, hoje, um novo ciclo político cuja visão estratégica coloca o enfoque no fortalecimento do Estado, normalização da vida pública, garantia da estabilidade social, reconstrução económica e combate a pobreza.

Excelências, Minhas Senhoras e Meus Senhores

A nação guineense se tem pronunciado numa só voz e visando um único propósito. Temos-nos sentido capazes de definir uma visão de médio e longo prazo e estabelecer uma estratégia inclusiva da sua construção. A apresentação que mais tarde os propomos deverá situar a todos sobre a actualidade política, económica e social do país. Todavia, os ganhos, mesmo importantes são ainda relativos. Precisamos de os confirmar e os consolidar, através de reformas estruturantes, potenciar o crescimento económico e fortalecer as bases para um diálogo e entendimento social alargado.

 

Por isso, a clareza das opções que assumimos e os fundamentos para alavancarem esta edificação são a paz e boa governação, ambiente de negócios, infra-estruturas e desenvolvimento urbano, desenvolvimento humano e biodiversidade, tendo como os pilares de sustentação os motores de crescimento, designadamente a agro-indústria, as pescas, o turismo, as minas, a energia e os serviços numéricos, na perspectiva de prosperidade partilhada para um  desenvolvimento durável.

 

Excelências, Minhas Senhoras e Meus Senhores

Este é para nós o momento da Guiné-Bissau. Podemos, juntos, transformar a Guiné num verdadeiro caso de sucesso combinado e partilhado com todos os amigos e parceiros.

 

Para que isto aconteça, deverão ser criadas condições de segurança e estabilidade e de realização de importantes investimentos tanto de natureza financeira como no capital humano como ainda no acompanhamento de toda a implementação do programa.

 

Deverão ainda, ser criadas condições objectivas para a atração do investimento privado que permitirão o devido enquadramento do género e o fomento do emprego jovem entre outros importantes programas.

 

 Senhoras e Senhores

Permitam-me, finalmente, aproveitar esta ocasião para saudar os esforços e a preciosa contribuição do Grupo Regional de Contacto para a Guiné-Bissau, criado no âmbito da CEDEAO e liderado por Sua Excelência Sr. Goodluck Jonathan, Presidente da República Federal da Nigéria, que durante a Transição Política prestou relevantes serviços ao processo de regresso à ordem constitucional na Guiné-Bissau.

Agradecer ao Presidente John Dramani MAHAMA, enquanto Presidente da CEDEAO e Presidente de um país irmão e amigo, pelo seu apoio incondicional e absoluta mobilização a causa da Guiné-Bissau.

Agradecer a Senhora  Hanna   Tetteh e a todas as autoridades do Ghana e da CEDEAO, pela sua permanente dioisponibilidade e apoio.

Termino, reiterando o nosso agradecimento pela vossa participação nesta reunião preparatória da Conferência dos Doadores e pela atenção prestada a Guiné-Bissau.

Muito Obrigado!

 

 

3 Responses to Reunião preparatória da Conferência de Doadores: Discurso de Domingos Simões Pereira

  1. caloco diz:

    Bravíssimo meu caro, é isto que se quer para quem augura um país prôspero. Não hesite que os prósitos para os quais se vai organizar a tão esperada mesa redonda serão alcançados. Não quero com isso dizer que a Mesa Redonda trará soluções mágicas para a nossa Guiné. Mas, posso esperar que ela deverá permitir, no mínimo, um comprometimento da comunidade international em relação aos objetivos que estão plasmados nos documentos destinados à referida “table Ronde”. Sê pragamático como sempre e deixe que o Senhor todo poderoso guie os teus passos. Havmeos da lá chegar. “Ende gute, alles gute” diz o alemão! Força;

  2. ramiro Mendes diz:

    ola exc.o senhor sinto muito confiante em vc em frente de todos os Guineeses assuma esta reponsabilidade todal para levar Guine Frente porfavor nao dé auvidos das possoas ma intecionados pega no seu trabalho para tirar Guine nesta situaçao caotica (djunda djunda) chegou a hora para o sinhor espelha cada um no seu respectivo lugar, o povo Guineense depossita confiança em vc particularmente eu coragem sucesso no seu trabalho dia dia para que Deus abemsoe plano para desenvolver esta terra que é nossa. porque ninguem sai da alemanha para desenvolver esta terra nos é que vamos pegar com as nossas maos para levar a Guine no alto patamar,para evitar tambem de falar muito porque nem sempre aquilo que falamos vao star na pratica e desprsar as palavras diz-uniao entre os lideres politicos.(Domigos povo de Guine sta ku bo mere cino konfiança.

  3. Demba mala diz:

    o descurso do primeiro ministro foi encorajador encentuou nos problemas mais fortes agro- industria, infra-estruturaçao do país e capital humano colocada na bidioversidade,turismo e pesca.
    Um tem que definil uma visao e estabecer a estratégia para construçao do país. tem que consilidar a paz, o diálogo para ter a boa governaçao e pois desenvolver e combater a pobreza através do emprego jovem. o chefe executivo Deus te bençóe para concretizaçao da mesa redonda em fim para inicio da matriliaçao do seu programa.

Responder a caloco Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.