Opinião: Missiva de congratulação e encorajamento à Sua Excelência, Presidente José Mário Vaz,pelo discurso dirigido à Nação

Sua excelência senhor José Mário Vaz, presidente da república da Guiné-Bissau. Antes de começar, gostaria de entregar os meus mais sinceros votos de cumprimentos ao senhor e a todo seu elenco presidencial. Espero com esta modesta e significante missiva poder, de alguma forma, lhe dar mais força para continuar de cabeça erguida na luta para a consolidação de um desenvolvimento são e duradouro.

Por Deuinalom Fernando Cambanco* | stduiner10@hotmail.com

Venho na qualidade de um simples cidadão guineense lhe parabenizar pelo seu brilhante discurso dirigido à nação guineense, discurso esse voltado a esclarecer e apaziguar a volumosa e preocupante onda de especulações que davam conta de uma possível intenção da sua excelência em derrubar o governo, comandado pelo primeiro ministro, na pessoa do excelentíssimo senhor Domingos Simões Pereira, e de um profundo mal estar reinante no cenário político nacional.

O discurso pelo senhor proferido, na Assembléia Nacional Popular (ANP), diante de todos os deputados da nação, dos membros do governo e, de toda a população guineense, foi a meu ver, muito tranqüilizador. Acho que já estava mais do que na hora de sua excelência se pronunciar sobre esses boatos e especulações “infundadas” se me permitir assim dizer, e que, segundo o senhor, num dos trechos de seu discurso servem para desviar as nossas atenções e originar entre outros, o desencorajamento a pro – atividade de investidores sérios, o que com certeza, não ajudaria absolutamente em nada. Portanto, peço ao senhor que continue sendo sempre essa pessoa determinada, serena, compreensiva e, sobretudo, trabalhadora. A fim de melhor garantir uma navegação correta, segura e o “atracar do navio num bom porto”, como bem enalteceu no seu modesto discurso. Pois, “hora é de ação e não da palavra”, isto é, “pa miti mon na lama” como entusiasmadamente costuma dizer. Outra colocação sua que me chamou bastante atenção foi o seguinte: o presidente da república não se move por rumores, especulações e tampouco pelas insinuações. O que no meu ponto de vista deve ser um exemplo para todos os altos dirigentes da soberania, nomeadamente ANP, na pessoa de seu presidente, do governo na pessoa de primeiro-ministro e supremo tribunal de justiça, também na pessoa de seu presidente.  

Por outro lado, subscrevo literalmente a sua afirmação, que diz o seguinte: “As democracias constitucionais, na qual a nossa se insere, são justamente caracterizadas por um leque de liberdades, pelo pluralismo de idéias, pelo intenso debate público e pelo salutar contraditório”. E, é com base nesta afirmação que lanço o meu apelo, ou seja, imploro ao senhor a dar sempre prioridade ao diálogo, evitando assim qualquer tipo de divergência que possa afundar o país outra vez no abismo. O senhor é o símbolo da unidade nacional – garante de regular funcionamento das instituições da república, isto é, “árbitro entre governo e ANP, policia do governo, e ao mesmo tempo, bombeiro do sistema, como muito bem salientou em um dos trechos do discurso; e, é justamente por lhe ser atribuída esta responsabilidade que precisa ser mais forte do que nunca, de modo a cumprir com o seu sagrado juramento no ato da tomada de posse, perante todos os guineenses.

Espero que essas especulações não tenham diminuído o seu astral e, de alguma maneira, calar a sua voz em pronunciar sobre qualquer tipo de irregularidade na gestão da coisa pública. Também, lhe incentivo a tomar sempre medidas corretas, que dialoguem com as partes envolvidas nesta dura e infindável tarefa de construção de uma nação estável, próspera, pacífica e desenvolvida. O país e toda a nação guineense em geral precisa, e espera muito do senhor e, de uma forma generalizada de todas as forças vivas da nação. Paute sempre pela busca de saídas efetivas para qualquer referendum que possa ameaçar a paz e a estabilidade. Digo isso porque não quero que haja novamente nenhuma queda do governo, o que sei que não passou, e nunca passará pela sua cabeça. Não quero ver o povo guineense sofrendo novamente de angústia e tristeza, que sempre foram e, ainda são resultados desses dissensos polêmicos e desnecessários no seio dos atores políticos.

Igualmente, quero ver os meus sonhos e dos demais compatriotas sendo materializados, ou seja, espero que o senhor juntamente com os demais dirigentes corresponda às expectativas de todos os guineenses que esperam por um novo alvorecer do país. Um país próspero, estável desenvolvido, onde todos nós viveremos sob um clima de paz e harmonia. Um país onde a geração vindoura na qual eu me incluo terá bastante orgulho dos trabalhos e sucessos hoje alcançados por você e demais personalidades da soberania.

Em fim, fecho esta missiva esperando que tenha realmente cumprido e exercido o meu nobre papel, isto é, papel de um cidadão atento e preocupado com a causa nacional. Dando lhe assim mais força para a superação desta delicada situação que o país atravessa. E que prevaleça sempre o dialogo entre o senhor e os demais dirigentes ativos no cenário político nacional, de modo a tornar-nos cada vez mais coesos, unidos e fortes! Um forte abraço ao senhor e a todo seu elenco. Viva Guiné-Bissau, viva seu Presidente, e viva seu povo! Orgulho de ser guineense, bem nos haja.

 

*Deuinalom Fernando Cambanco | Graduando em Ciências Humanas, Universidade da Integração Internacional da Lusofonia afro-brasileira (UNILAB), São Francisco do conde, Bahia\Brasil.

 

 

 

 

 

 

 

 

6 Responses to Opinião: Missiva de congratulação e encorajamento à Sua Excelência, Presidente José Mário Vaz,pelo discurso dirigido à Nação

  1. Frédarique Mendes diz:

    Irmão nada mais do que falaste tomos juntos viva povo Guinéense obgd.

  2. Baticã Ibrahim Mané diz:

    Falou e muito bem irmão,essa que deve ser a nossa missão, nós guineenses, ao invés de pautarmos pelas especulações que não vai nos levar a lado nenhum. Gostei muito do seu texto, bem pensado e muito bem estruturado. Isso demonstra uma capacidade de pronunciação sem más intenções e sem tendências, ou seja, mostra uma preocupação com o país e não com os interesses de meia dúzia de gente. Vamos que vamos, um dia sairemos dessa. Abraços do teu irmão.

  3. Jorgito Francisco Tomás Cusna diz:

    falou mano, força e coragem nos teus estudos!!! esse tipo de pensamento que os jovens Guineenses devem ter, não vivendo de boatos e discussão nas bancadas.

  4. Irmão li atentamente sua opinião enriquecidor sobre o discurso do nosso presidente da república, realmente precisamos aprender com isso se quisermos ter qualidade na gestão de coisa pública e na qualidade da nossa vida. Sou guineense mas vive 8 anos em cabo-verde realmente temos muito que aprender com aquele pais irmão. Somos um povo preguiçoso l, sem vontade de fazer nossa história e cheio de cada tipo de festa. Nossa esperança é esperar que os outros tragam esse desenvolvimento até a nós, apostando nos financiamento dos outros!!!!! Até quando!? Vamos criar condições para sermos autossuficientes dinamizando nosso mercado interno e forteficando o poder de compras mas para isso precisamos valorizar os recursos humanos que temos. Pergunto como pode cabo Verde um país quase sem recursos naturais chegar nas condições qeu hora estam!?Minha visão e espírito de trabalho mudou quando estive e vive em cabo-verde agradeço pelo aprendizado e pela mudança de mentalidade. Precisamos ser um povo produtivo que busca sua independência financeira e parar de pedir financiamento para orçamento. Se esses orçamentos fossem para criar novos postos de trabalho poderíamos até apoiar tal iniciativa mas sabemos que tudo isso é para pagar salário de funcionários públicos que mal trabalham!!! Temos um problema de usos e costumes que é grave viver na zona de conforto mesmo morrendo de necessidades. Espero qeu o senhor nos abençoe e muda nossa mentalidade. Tudo agora é mesa redonda, não sei qual será nossa situação se essa promessa não se cumprir!!?? Irmãos trabalhar criando tributos que possa nos ajudar a arrecadar mais verbas que aplicados na construção do país que consequentemente trará mais postos de trabalho. Governar não é vocação mas sim arte que se aprende com humildade e determinação

  5. paulito Fernadez Brito diz:

    Meu Mano Fraderique Mendes muito obrigado por sua brilhante intervençao que è uma contribuiçao tao importante neste momento tao crucial que encontramos.
    Assim è Bom, continue assim.E, nao como os outros que vê so para o lado negativo.
    quem é mais inteligente de quem? nos do progresso nacional,vamos continuar a receber o dinheiro no Governo afim continuarem a defende-lo.porque, esse é quele desenvolvimento que queremos.
    Viva Sua Excelencia Dr. Jose Mario Vaz PRESIDENTE de Todos os GUINEESEs e toda Guine-Bissau.
    pois Ele MERECE, MERECE, MERECE,MERECE, MERECE MUITO, MUITO MUITO RESPEITO. Quando nos o insultarmos, insultamo-nos à nòs mesmo.
    Paulito Fernandez Brito.

  6. Mangla Nantchia diz:

    Caro sobrinho!
    Penso que o senhor nao tinha prestado muita atencao no discurso do Sr. PR no Parlamento Guineense. Ele estava cheio de contradicoes. De um lado fala de boitos e rumores de outro lado acaba reconhecendo que se nao tinha ponderado tomaria decisoes que levaria pais a confusao. O acontecimento de 12 de agosto mostra claramente que o PR tinha intencao de derrubar o governo so que estava a espera de momento propicio para concretizar o seu plano que ja vinha desde o fim das eleicoes ou desde a campanha eleitoral.
    Devemos estar atento as monobras dos nossos politicos, porque estao dispostos a enganar o povo para alcancarem os seus fins.
    Basta enganavr e defraudar o nosso povo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.