Comunicado: Governo Português preocupado com a crise política na Guiné-Bissau

Lisboa (Ministério dos Negócios Estrangeiros de Portugal, 11 de agosto de 2015) – O Governo Português tem vindo a seguir com grande preocupação o progressivo avolumar das divergências entre titulares de órgãos de soberania na Guiné-Bissau e tem envidado porfiados esforços para prevenir que daquelas resulte uma grave crise política.

As últimas eleições legislativas e presidenciais na Guiné-Bissau permitiram criar fortes expetativas de que a estabilidade democrática se instale duradouramente no país, como o Povo guineense merece.
Só o bom funcionamento do regime democrático e o respeito escrupuloso pela Constituição da República possibilitam o esforço de recuperação económica indispensável ao crescimento e bem-estar da Guiné-Bissau, bem como a concretização do auxílio externo tão necessário à materialização dos planos de desenvolvimento que o Governo guineense tem preparado.

Sem o normal funcionamento da democracia haverá grandes dificuldades para que a Comunidade Internacional tenha condições de prosseguir na cooperação e apoio de que a Guiné-Bissau nesta fase carece. Se tal acontecesse, retornar-se-ia a um período de perturbação, instabilidade e marasmo económico.

O Governo Português faz ardentes votos para que seja possível rapidamente ultrapassar o risco de crise política e continuará a trabalhar com os Estados da CPLP e da CEDEAO, bem como com a UA, a UE e a ONU, para que as dificuldades atuais sejam ultrapassadas.

Gabinete de Informação e Imprensa

11 de agosto de 2015

One Response to Comunicado: Governo Português preocupado com a crise política na Guiné-Bissau

  1. Bilguise Helena Said diz:

    o Portugal deve se fincar para o País retome o seu normal funcionamento, porque se houver a nomeação de um novo chefe do Governo que é da expectativa ou de agrado da população a crise ainda se aprofundara, tendo em conta as vantagens conseguida pelo governo deposto durante o seu mandato de um ano.

Responder a Bilguise Helena Said Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.