Crise Política: Reacções dos países e organizações

MNE moçambicano muito preocupado com a situação política   

O ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação de Moçambique, Oldemiro Baloi, manifestou-se no fim de semana muito preocupado com a situação na Guiné-Bissau, imputando ao ego dos políticos guineenses a responsabilidade pela crise.

O chefe da diplomacia moçambicana acusou alguns políticos bissau-guineenses de sobreporem os seus interesses pessoais aos do povo, realçando que a política é para servir e não para se servir dela.

A atual crise na Guiné-Bissau, assinalou o ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação moçambicana, mostra que os militares foram sempre usados pelos políticos na instabilidade que atingiu o país no passado.

|LUSA

 

CEDEAO pede diálogo para resolver crise política

O Presidente do Senegal e da Autoridade de Chefes de Estado da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), Macky Sall, pediu ontem uma solução através do diálogo para a crise política na Guiné-Bissau.

Numa nota publicada no portal da CEDEAO, o líder senegalês mostra-se “preocupado” com o facto de os desentendimentos entre o Presidente JOMAV e o primeiro-ministro Domingos Simões Pereira terem levado o chefe de Estado a demitir o Governo e lamenta que os esforços da CEDEAO e da restante comunidade internacional no sentido de resolver a crise não tenham tido resultado.

De acordo com o comunicado, o Presidente Sall considera que a crise “pode afetar os compromissos dos doadores da Guiné-Bissau” que numa mesa redonda realizada em março, em Bruxelas, anunciaram mil milhões de euros de intenções de apoio.

|LUSA

 

EUA apelam ao diálogo e ao consenso para resolver a crise política

Os Estados Unidos apelam aos líderes da Guiné-Bissau que procurem um consenso para resolver da melhor forma a crise política, que resultou no afastamento do primeiro-ministro Domingos Simões Pereira.

Num comunicado, o Departamento de Estado norte-americano afirma que “com a demissão do primeiro-ministro, a Guiné-Bissau enfrenta a sua primeira crise governativa desde as eleições livres e justas de 2014”.

“Nós apelamos aos líderes que procurem o diálogo e o consenso para resolver esta crise de modo que ambos sirvam os melhores interesses dos cidadãos da Guiné-Bissau e que estabeleçam um esquema claro de papéis, a fim de evitar uma crise política prolongada, agora e no futuro”, acrescentou a nota.

“Os Estados Unidos esperam que os líderes na Guiné-Bissau mostrem ao mundo que podem trabalhar juntos com a comunidade internacional para avançar com o desenvolvimento político e económico”, assegurou o comunicado.

|LUSA

3 Responses to Crise Política: Reacções dos países e organizações

  1. Calabeto costa diz:

    Para que tanta hipocrisia? Ha paises que ainda nao conseguiram resolver o problema da coabitacao com o partido da oposicao mas que agora andam a criticar a Guine- Bissau. Pois ha um conhecido proverbio que diz o seguinte: cuida te primeiro da Tua casa antes de criticar a casa alheia.

  2. Não é preciso resolver os seus problemas só depois ajudar, na resolução dos problemas alheios, se assim fosse nenhum pais do mundo ajudaria na resolução de nenhum conflito no mundo, pois todos os paises tem problemas.
    Se esses paises nos encitassem a violencia aí que é mau, mas para uma boa causa é só aceitar os conselhos e deixar de guerrinhas.
    Esse pais já não merece passar por mais sofrimentos, todos nos deverjamlks juntar numa única voz e dizer basta !!!!! Eu sou guineense mas estou estuda do Nka Brasil, porque vim estudar neste pais? Não faz faz sentido porque se o pais que me viu nascer tivesse condições para estudar, o que valia a leba sair fora! Irmãos esse pais é nosso, vamos o defender com dentes e unhas.
    Viva paz!!!
    Viva democracia!!!
    Viva o povo de Guiné !!!

  3. jose diz:

    Sou caboverdiano, gosto muito do povo guineenses, e inclusive eu acho que tanto Cabo Verde como todo o CPLP tem uma grande dívida para com a GB na luta contra o colonialismo. Guiné é uma terra rica, cheio de recursos, se os seus políticos tivessem um pouco de amor a terra, eles seriam capazes de deixar de lado as desavenças e egos pessoais e governar para o ego do povo. sinto triste com essas situação na GB. Os políticos não pensaram no povo. Eu sei que são todos filhos da GB, bons ou maus. me desculpam dizer que povo da guiné não merece esses JUMENTOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.