Inspector Geral do Trabalho lamenta fraca produtividade nas instituições do Estado

 

Bissau (ANG, 18 de Agosto de 2015) – O Inspector Geral do Trabalho,Adäo Adama Baldé disse hoje haver  fraca presença dos trabalhadores no serviço, numa entrevista à ANG.

Baldé pede que haja entendimento entre o Presidente da República e o PAIGC para que um Primeiro-ministro possa ser nomeado, o mais depressa possivel.

Falando do Ministério da Funçäo Pública e Reforma Administrativa, disse que os funcionários têm feito o máximo no sentido de prestarem o serviço mínimo naquela instituição pública.

Por seu lado, Eufrásia Milaco, funcionária estagiària do Ministério da Função Pública considerou  que a queda do Governo vem atrasar mais  o desenvolvimento do país, e particularmente o processo de efetivação de novos funcionários.

Eufrásia  considerou complicada a situação de impasse político vigente no país, por isso exorta aos políticos a pautarem pelo entendimento através de um diálogo aberto e pacifico.

Bruno Francisco Rodrigues, sindicalista do Ministério da Economia e Finanças, disse que a prestação dos serviços por parte dos funcionários está a meio gás, devido a situação política vigente no país que culminou com a queda do Governo.

Defendeu  que é urgente ultrapassar a crise política que tem reinado na Guiné-Bissau durante as duas últimas semanas, e que disse estar a degradar a economia nacional.

Por seu lado, a funcionária da mesma instituição Domingas Fernandes pediu para que haja um entendimento entre as partes em conflito.

Disse que a crise política que culminou com a queda do Governo tem afectado o funcionamento dos diferentes departamentos dos serviços no Ministério das Finanças, havendo fraca presença dos trabalhadores nos seus postos de serviços.

Apos a demissäo na quarta-feira passada do governo de inclusäo liderado pelo PAIGC, aguarda-se uma resposata da Presidência da República sobre a reconduçäo de Domingos Simöes Pereira nas funces de chege do executivo.

 

ANG/FGS/PFC/SG

One Response to Inspector Geral do Trabalho lamenta fraca produtividade nas instituições do Estado

  1. waldir jalo diz:

    Os guineenses devem parar de inventar desculpas para não ir trabalhrar.
    Poucos servidores cumprem 40 horas semanais, assim não vamos ao lado nenhum. E tenho a certeza que quando chegar o final de mês, ninguem vai ser descontado pq não se desconta ninguem pela falta .

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.