Opinião: Raios-X do circo político e social da Guiné-Bissau

Circo é um ambiente onde os profissionais do riso desenvolvem habilidades com intenção de provocar um mix de alegria e emoção com diferentes quadros artísticos. No caso da Guiné-Bissau o CIRCO durou mais de quatro décadas sem conseguir provocar alegria e emoção, mas espalhando tristeza e angústia aos espectadores1 (1se refere à comunidade internacional e ao povo guineense).

Por Patrício Baionco, Prof° Mestre, Consultor e Pesquisador | baionco@gmail.com

Há sessenta dias Guiné-Bissau era um país poderoso, alegre, uma verdadeira joia aos olhos da comunidade internacional pela forma organizada dos seus atos. Tinha um capital imensurável de motivações provocando uma escalada positiva de ideias e sonhos futurísticas que muitos achavam um sonho distante que associava a sentimento de juntos “podemos” em um Startup2 que equilibrava a balança do crescimento.

Com este entusiasmo e os resultados obtidos no espaço reduzido de tempo, o convite pela volta a Guiné-Bissau foi ouvida e recebida como um grito de guerra a desenvolvimento com a justificativa de que podemos fazer bonito e reescrever a história de forma diferente do que estávamos acostumados. A solicitação foi levada a sério por todos os Guigui´s.

Pela primeira vez ao longo de quatro décadas de PURO SHOW DE CIRCO, não importava onde estava um guineense levantava a mão e batia no peito e gritava com toda sua força I´m from Guinea-Bissau (eu sou guineense com todo orgulho).

O ressuscitar da confiança e motivação foi uma resposta à duras penas que no primeiro momento houve mobilização de ideias e sentimento de mudança associado aos resultados obtidos, fez brotar a união do povo e ressurgimento do equilíbrio institucional até o fatídico 12 de agosto.

Neste dia a Guiné-Bissau foi tirada a possibilidade do crescimento.

A Guiné-Bissau é um país velho. Digo isso porque o “velho é a pessoa que pensa que sabe tudo e não precisa mudar”.

As evidências mostram que os guineenses possuem habilidades extraordinárias e invejável de PIORAR O QUE ESTAVA BOM, utilizando o sentimento de “ALAM NÔ DJUSTA DJÁ”, ou seja, todo mundo nivelado por baixo.

A comunidade internacional, parceiros bilaterais e multilaterais da Guiné-Bissau estão cansados e intrigados com o “BISSAU CIRCO SHOW”.

Toda confiança conquistada pelo povo guineense nos últimos tempos, evaporou-se num piscar de olhos sem nenhuma justificativa plausível suportada em uma decisão mal sucedida.

Diante do exposto surgem seguintes perguntas:

– O que queremos do nosso povo?

– De que tecido social viemos?

– Porque conformamos com a 1° posição de trás para frente (último lugar)?

– Onde estão as ideias inovadoras, proativas, conciliadoras, democráticas dos milhares dos experts produzidos ao longo de quatro décadas de puro BISSAU CIRCO SHOW?

– Qual é justificava para tudo o que os guineenses esta passando?

No passado o foco da instabilidade era atribuída às nossas gloriosos forças armadas, mas desta vez foi provado o contrário. O problema mora nos interesses particulares dos políticos.

A postura mostrada pela força de defesa e segurança é impar e madura até este momento, nunca antes na história deste país os militares ficaram tão distantes e imparciais frente aos problemas políticos e econômicos.

Este exemplo de mudança de postura tem que ser levado à classe política.

Sem adentrar na análise legal ou constitucional é notável verificar o cansaço e a tristeza na face dos guineenses vendo tudo o que foi conquistado jogado fora.

Um grito de socorro: Tenha dó e respeito ao povo guineense.

Vamos juntar as forças, ideias e conhecimento em prol do DESENVOLVIMENTO já passaram o tempo e hora de decisões extraordinárias. O povo já esta fragilizado, basta um leve grito para levar a morte súbita.

Todo o guineense tem o dever e obrigação de cuidar um do outro. O mundo esta em crise, a Europa o nosso maior parceiro esta com crise humanitária sem saber o que fazer com o Tsunami dos refugiados (nossos irmãos fugindo de guerra) e os nossos irmãos de CEDEAO e CPLP cada um com seus problemas internas. Dado a estas variáveis é pertinente repensarmos os nossos atos.

O problema que se põe não é abandono da comunidade internacional, mas sim a incapacidade de resolução de nossos problemas em ambiente normais sem prejudicar o curso do país. As promessas serão sempre feitas pelos nossos parceiros de CEDEAO, CPLP etc… mas no fundo estão todos cansados e intrigados com a nossa atitude.

Quem tem filho sabe como é difícil um pai ver o filho mais novo aconselhar o irmão mais velho. É de partir o coração Guiné-Bissau receber conselho dos nossos irmãos de cabo Verde,  Timor Leste e São Tomé e Príncipe. Muitos não aceitam, mas é uma realidade, esses países atingiram maturidade política e níveis de discussões transcendem as arcaicas e ultrapassadas ainda utilizada por nós.

É preferível ter uma Guiné-Bissau idosa que se RENOVA NA MUDANÇA.

O futuro é o passado em construção, a cada dia fica mais distante esta realidade. Para conseguirmos um futuro próspero devemos construir um presente de entendimento, de confiança, de respeito com as instituições fortes e credíveis, sem famosos bajuladores.

A Guiné-Bissau deve ser um país INSATISFEITO POSITIVAMENTE,

O que esta palavra mágica quer dizer?

Querer mais e melhor, colocar as inteligências a serviço da mudança, dar vitalidade ao que já existe porque o impossível não é um fato, é uma opinião, podemos fazer muito mais.

Dá gosto passar na casa do nosso irmão mais novo “Cabo Verde” pela forma madura de fazer a política com ideias e procedimentos claros.

A Guiné-Bissau é um caso perdido?

De jeito nenhum. Devemos aceitar as nossas limitações e aprender com dignidade. Todo risco trás oportunidade. Digo isto porque este é o momento de cada um fazer um julgamento silencioso para identificar o seu ponto forte e fraco e arrumar uma forma de contribuir para mudança.

Vamos aguardar e acatar o julgamento do STJ, um órgão independente e imparcial.

Que deus abençoe a Guiné-Bissau e a faça ter vergonha e escutar pelo menos os irmãos mais novos e começar a enxergar os anseios do povo de forma diferente.

 

____________________________________________________________________________________________

1 Refere à comunidade internacional e ao povo guineense.

2 Um novo começo, uma ideia nova, mudança de comportamento, quebra de barreira do óbvio.

 

Patrício Baionco             

Prof° Mestre, Consultor e Pesquisador

 

 

 

 

 

 

 

 

4 Responses to Opinião: Raios-X do circo político e social da Guiné-Bissau

  1. Djikindor Matchu diz:

    Meu caro Prof° Mestre, Consultor e Pesquisador…
    Voçê escreve tão mal o português que até mete dó! (conjuga mal os tempos verbais, “come” vogais, consoantes, estrutura mal as frase e ideias, enfim,…etc, etc, etc,….)
    Recomendação: faça um grande esforço de aperfeiçoamento do português e depois venha sim publicar artigos de opinião. A Guiné-Bissau está cheia de “pseudo” Mestres, Doutores, Professores, Catedráticos…”da treta”…enfim indivíduos mal preparados que só pelo facto de se “engravaterem” julgam que podem opinar sobre determinada matéria. Vá estudar e ler (muito) para conseguir corrigir esta falha.

    • Patrício Baionco diz:

      Prezado Djikindor Matchu,
      Obrigado pela sua colocação muito embora tenho as minhas dúvidas.
      Você mostrou a verdadeira faceta do guineense, ao envés de contribuir se preocupa mais em atacar “você não precisa atacar para bilhar”.
      Tenho absoluta certeza que pode colocar a sua expertise a serviço da sociedade e ajudar na mudança do comportamento social.
      Sinceramente, não tenho interesse em discutir a minha capacidade ou a minha titulação acadêmicas contigo.
      Acredito que o reconhecimento pelo meu trabalho suportado pela minha titulação transcendem o seu magro julgamento gramatical do dito bom português.
      Não posso comprar briga gratuitamente, porque o seu julgamento não muda o “Dollar”.
      O mais interessante e comungar idéias para mudar o nosso país.

      Fica bem e faça o julgamento silencioso. Você tem potencial. Direciona para o bem.
      Segundo o seu bom português “até que mete dó”
      Dó se mete ou se dá?

      A vida é um circo, mas te garanto que todo dia da minha humilde vida estudo e procuro aperfeiçoar as minhas dificuldades, produzo e explico conhecimento em mais alto nível.

      Repito, não estou interessado em comprar briga gratuitamente, quero parcerias para mudar comportamento da nossa sociedade. Estarei de braços abertos para ser o seu parceiro caso desejar juntar a um projeto maior de mudança e não de ataque promocional.

      Pode entrar em contacto e me conheça bem.

      Att
      Patrício Baionco

  2. Djikindor Matchu diz:

    Meu caro Prof° Mestre, Consultor e Pesquisador…

    Não vou entrar por onde quer…

    Cito-o somente:
    1) “Sinceramente, não tenho interesse em discutir a minha capacidade ou a minha titulação acadêmicas contigo.”;
    2)”Acredito que o reconhecimento pelo meu trabalho suportado pela minha titulação transcendem o seu magro julgamento gramatical do dito bom português”.

    VOCÊ É: PROFESSOR, MESTRE, PESQUISADOR, INVESTIGADOR…ONDE? EM QUÊ? (AHHH GUINÉ BU KANSA!…KU É BU FIDJUS (SUPER)TITULADOS…!!! ANALFABETOS…

    Conclusão: O meu amigo (Prof° Mestre, Consultor e Pesquisador) tem mais ego do que capacidade de análise/escrita ou seja lá o que for…
    Recomendação: Vá ler e estudar mais e deixe-se de pavoneio! Ou melhor: vá consultar e pesquisar porque precisa muito!

    Você mostrou verdadeiramente a faceta do Guineense: não aceita de maneira nenhuma a crítica! Encara-a (…a crítica) como algo muito negativo ao invés de interiorizar a necessidade de aprender e melhorar. Enfim…é o país e as pessoas que (infelizmente) temos…por isso estamos onde estamos! Ampus!!

  3. Vensam Gomes diz:

    Eu estou convencido que o tal endivideo não esta dentro do seu assunto de descrever o contiodo do pais. O senhor descreveu na totalidades o que passou no pais à longos anos daliberdade, dominadas pelos traidores e ditadores governos. Hoje apareceu o ar puro para respirar e foi tatalmente conteminada pelos lacaissimos que não querem o desenvolvimento da guiné bissau! Os seus sentimentos inspiradas sobre paralização do pais é um conselho vomitada de servir a nação nomeadamente à todos guinénnses de ter um preconseito de recontruir uma nação tão forte e prospera à onde cada guinénnses possa ter uma moedinha no seu bolço. por que a unidade faça à força! È muito dificil fazer gentes comprender como no caso deste tipo, Djikindor Matchu, o nome inventado e que não quer dar a sua carra com os outros e que ainda encontra ao fundo do braco tão escurro, e que não consegue ver o sol para respirar o ar puro! Estamos envolvidos com pessoas mal feitivos e que estão ligados com problemas de comunitarissimo religiossos. Com a fê de destruir o pais e de alastrar o comunitarissimo religiossos. Este tipo atacou abertamente, mais é por falta de incumprimentalidade. Mais O seu Português é de Cuimbra. È como que fala dos actores Cuimbreiros antes do Es maia. O senhor sabe e bem dar as suas lagrimas ou dar chuvadas de lagrimas nos espaços brancos “papeis” de modo a conselhar o povo da guiné bissau.
    Do meu ponto da vista enquanto como analista e comentador das situaçãos politicas da guiné bissau, coloco no altissimo ponto em como a pessoa que quer dar as mãos ao seu povo.

Responder a Djikindor Matchu Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.