Guiné-Bissau enfrenta agora “uma situação bastante complicada” – CPLP

Lisboa (Lusa, 9 de Setembro de 2015) – O secretário executivo da CPLP, Murade Murargy, considerou hoje que a Guiné-Bissau enfrenta agora “uma situação bastante complicada”, após o Supremo Tribunal de Justiça guineense ter declarado inconstitucional o decreto presidencial que nomeou o novo primeiro-ministro.

É uma situação bastante complicada, porque o que foi invalidado, de facto, foi a decisão de ele (José Mário Vaz) ter nomeado um primeiro-ministro sem seguir os procedimentos previstos para a escolha de um primeiro-ministro. Neste caso, como disse o Presidente do Senegal, é uma situação que temos que gerir com muito cuidado”, disse o diplomata, apelando à participação da comunidade internacional na busca de uma solução para a Guiné-Bissau.

“Não podemos deixar o povo da Guiné-Bissau abandonado, temos que participar”, frisou o responsável pela CPLP, órgão que nos próximos dias vai tomar a decisão de enviar uma missão àquele país africano.

“A ideia é fazermos uma missão (à Guiné-Bissau) antes (da Assembleia Geral da ONU) de Nova Iorque”, que se realiza no dia 20 de setembro, disse o secretário executivo da CPLP.

4 Responses to Guiné-Bissau enfrenta agora “uma situação bastante complicada” – CPLP

  1. baçiro ture diz:

    A cituacão na gbissau não é complicado. E é muito símple. É só o presidente siguir a lei . Eu acho que isso não é complicado só se elle que queres complicar.

  2. Quitan quinhare diz:

    Patético, triste e revoltante, um país q tem td para andar para frente , parece estar amaldiçoado politicamente palhaçada pahhh. Sou guinenses e tenho orgulho em ser lo mas começo a ter vergonha de ser lo….

  3. rafael injai diz:

    E facil nós temos à nossa constituição da República só que as pessoas não respeita o que esta escrito fazem o que querem .

  4. Dr. Manuel Jalo na Suiça diz:

    Boa tarde para todos,

    A guiné-bissau nunca têm uma situaçâo dificil. o presidente da republica siguiu as leis.
    Qual é a responsabilidade do presidente ? È de garantindo a democarcia e respeitando a constituiçâo.

    Mudar um primeiro ministro nâo é um crime para o presidente da republica. O primeiro ministro nâo é um elemento votado pelo o povo. Sâo representantes do povo guineense, os deputados da naçâo e o presidente da republica. Sâo as duas entidades votadas pelo o povo. O Domingos S. Pereira é um simple representante do PAIGC nâo um representante do povo. Na Guiné-Bissau, hà varios partidos. Nimhum partido pode ser representante do povo porque nâo é todo o povo que aderiu nas ideas de um partido.
    Queiro esclarecer esta situaçâo à nivel do povo da Guiné-Bissau. O Domingos S. Pereira està manipular o povo sem razâo nimhuma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.