Presidente da República demite Governo de Baciro Djá

Bissau (ANG, 10 de Setembro de 2015) – O Presidente da República, José Mário Vaz demitiu na noite de quarta-feira o Governo de Baciro Djá, através de um Decreto Presidencial, o  Nº 09/2015, dois dias apos a sua investidura.

Segundo o Decreto, a decisão do  chefe de estado teve em conta o facto de o  Supremo Tribunal de Justiça ter declarado a inconstitucionalidade do decreto presidencial que havia nomeado Baciro Djá, no dia 20 Agosto.

O mesmo decreto ainda refere que depois de tomar conhecimento sobre a decisão do Supremo Tribunal de Justiça, Baciro Dja apresentou o seu pedido de demissão ao Presidente da República.

O Supremo Tribunal de Justiça, agindo na qualidade de Tribunal Constitucional, anunciou quarta-feira a inconstitucionalidade do decreto presidencial que nomeou Baciro Dja, Primeiro-ministro .

A fiscalização do Supremo havia sido solicitada pelo PAIGC, vencedor das últimas eleições legislativas realizadas no ano passado, cujo governo fora demitido pelo Presidente da Republica à 12 de Agosto.

Numa declaração à imprensa,o porta-voz da Presidência da Republica disse que Mário Vaz vai  iniciar nos próximos dias, e nos termos constitucionais, a audição dos partidos políticos representados na Assembleia Nacional Popular tendo em vista a nomeação do novo Primeiro-ministro para formar governo, “ que deverá entrar rapidamente em funções” .

Fernando Mendonça ainda referiu que essa decisão de José Mário Vaz vem demonstrar a sociedade guineense o compromisso  do chefe de estado de respeitar todos os órgãos da soberania.

“Espera-se que esta atitude sirva de exemplo, de como os demais órgãos devem cooperar e se respeitar mutuamente, como única base para permitir o bom funcionamento das instituições da República, levando assim os cidadãos a terem comportamentos semelhantes”, disse.

O Chefe de Estado , segundo o seu porta-voz, pediu a calma e serenidade aos cidadãos sustentando que a situação politica prevalecente constitui mais um desafio de consolidação das instituições da República e de aprofundamento do processo democrático.

ANG/ÂC/SG

4 Responses to Presidente da República demite Governo de Baciro Djá

  1. Augusto Keban Nhaga diz:

    Foi muito bom para não dizer óptimo a atitude do STJ em decidir sem olhar na cara ninguém porque é assim que deve ser. É a primeira vez na história da Guiné-.Bissau que STJ decide algo contraria a decisão do PR. Devemos marcar esta data como data história na democracia da Guiné_bissau e o PR como o 1º PR a aceitar a decisão do STJ. esperemos que isso seja uma luz a iluminar as mentes dos iluminados politicos e jornalistas que as vezes não a capacidade de ler os tempos e ficam a recitar as mnemónicas passadas.
    Viva Guiné-Bissau e viva PR que vai moldar a lei na Guiné. Dvemos começar a pensar a Guiné não aos nossos bolsos ou aos nossos amigos de Odessa.

  2. Augusto Keban Nhaga diz:

    É preciso que DSP perceba que os seus ministros que estão com o p´+e na cadeia devem ir ao tribunal e ele não os pode proteger. A lei deve prevalecer. Quem tem problema com a justiça é inocente até ao veredicto do tribula mas não pode nessa condição ser dirigente.
    Os nossos politicos deveriam fazer uma carta magna para o desenvolvimento da Guine onde todos os partidos deveriam cingir para governar o pais. Acabar com os politicos de profissão que hoje já esqueceram onde puseram os seus diplomas e o que lá estava escrito/está escrito. É vergonha para todos os guineenses quando DSP vem a praça pública duvidar da licenciatura do PR. É vergonha quando quem estudou põe em duvida o outro licenciado para salvar a cara. esquece que o PR era já autosuficiente e nunca p+recisou de ser isso ou aquilo para ser o que era.
    Atendos a nossa cultura de respeito. Pobres podemos ser mas temos a nossa dignidade. Quando um é pobre e demais perde a sua dignidade fica sem nada. Falar mal de alguém que hierarquicamente é nosso chefe é falta de bom senso para não dizer MÁ EDUCAÇÃO.
    DSP É DUMA FAMILIA CATÓLICA E BEM EDUCADA não pode descer assim tão baixo por causa da fama ou dos interesses obscuros.
    Não esqueça que os guineenses podem ser iletrados mas não são burros e todos os nós chegarão ao pente.

  3. Augusto keban Nhaga diz:

    A situação politica prevalecente constitui mais um desafio de consolidação das Instituições da República e de aprofundamento do processo democrático: sim e sim.
    Agora compete a Justiça fazer valer a igualdade nos tribunais para que o comum cidadão sinta respeitado e protegido. Os tribunais não devem funcionar com duas balanças- uma para o comum pecador e outra para osd eleitos. Agradeço ao STJ o que fez agora mas espero o inicio dum caminho novo na justiça guineense que é de não olhar para cara de ninguém.
    os ministros que têm problemas com a justiça serão os primeiros a serem levados a vara de justiça e que a impunidade acabe de vez na Guiné.

  4. baçiro ture diz:

    Si nós respeitamos a constituicão. Venceremos os disafios. Mas com falta de intindimento não tererémos o douradura paz. Peco paz e reconciliacão nacional; dialogo para sempre. obrigado que deus abencoa gbissau

Responder a baçiro ture Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.