EUA prometem desenvolver relações com Guiné-Bissau em diversas áreas

Bissau (ANG, 25 de setembro de 2015) – Os Estados Unidos da América vão trabalhar com a Guiné-Bissau nos objectivos compartilhados a longo prazo, ajudando os guineenses a construir um governo democrático estável e promover um crescimento económico sustentável e inclusivo.

A garantia foi deixada sexta-feira em conferência de imprensa pelo Embaixador norte-americano para a Guiné-Bissau, com residência em Dakar, Senegal, no final de sua visita ao país.

James Peter Zumwalt afirmou que  nas audiências que manteve em Bissau  encorajou as autoridades do país a continuarem com a “serenidade e o compromisso de  resolver as diferenças, sempre em conformidade com o estado de direito e o respeito pelo poder judiciário independente e no âmbito da Constituição”.

“Parece que foi encontrada uma solução pacífica para essa situação” , disse referindo-se a crise política no país.

Zumwalt disse  congratular-se  com a acção “dos líderes políticos e civis, as forças armadas e o povo da Guiné-Bissau”.

Sobre os apoios de Washington, o diplomata lembrou que uma equipa norte americana do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças(CDC) se encontra no país há cerca de um ano a apoiar as autoridades sanitárias guineenses na prevenção contra a Ébola e na preparação para as emergências de saúde em geral.

Acrescentou que a “CDC espera expandir esta colaboração no ano que vem para incluir um centro nacional de operações de emergência, uma rede de laboratórios nacionais, segurança de saúde melhorada nas fronteiras e uma força de trabalho nacional, treinada para detecção, notificação e investigação de surtos de doenças infecciosas.”

Sobre o sector educativo informou que “em breve”, os Estados Unidos  entregará mais de 6.000 quilos de materiais para o “laboratório” de língua inglesa, e  que planeiam fazer o mesmo acto em 2016.

No domínio da segurança, para, além  do patrocínio em Agosto último em Bissau da Conferência sobre a Relação Civil-Militar, afirmou que o seu país está engajado no apoio aos militares guineenses, nomeadamente a Marinha Nacional, no domínio de  segurança marítima.

Ainda durante a sua permanência no país, o diplomata norte americano assinou vários acordos com as Associações e ONGs na Guiné-Bissau, no quadro do fundo denominado “Auto-Ajuda”, através do qual apoiaram com 14 mil dólares uma organização de mulheres de Nhacra, norte do país, que se dedica ao desenvolvimento de  projectos socioeconómicos.

Para além do Presidente da República e outros responsáveis públicos, o diplomata norte americano manteve igualmente encontros, nomeadamente  com líderes empresariais, figuras religiosas, estudantes e membros da sociedade civil para, segundo as suas palavras, promover os laços entre os dois povos.

James Peter Zumwalt veio à Bissau propositadamente para tomar parte nas comemorações do 24 de Setembro, dia da Independência da Guiné-Bissau, trazendo consigo uma mensagem de solidariedade do Presidente Barack Obama para com o povo guineense.  

 

ANG/QC/JAM/SG

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.