Poema: O que fazem pela Guiné-Bissau?

Perguntei o que fizeram

o que fazem pela Guiné-Bissau

pelo Povo Guineense

quando não estão no poder

não há resposta

ou há resposta

depende da perspectiva

só se ouve falar deles

quando estão no poder

exercendo cargos

altamente remunerados

quando não estão no poder

ninguém sabe deles

porque não querem saber de ninguém

apenas de suas famílias

já estão cheios…

nunca assumiram a cidadania

nem antes e muito menos depois do poder

nunca se posicionaram sobre as ditaduras

sobre os Direitos Fundamentais

sobre o atraso do nosso Povo

sobre a Educação

sobre a Saúde

sobre a Justiça

sobre a Cultura

sobre a Pobreza extrema

sobre o retrocesso do País

sobre os culpados do País que temos

sobre os nossos Jovens

e o futuro que lhes tem sido recusado

nunca contestaram as violações da Constituição e das Leis

nunca deram a cara e a voz sobre as realidades do País

nunca assumiram fazer parte do Povo

nunca foram criticados

confrontados

caluniados

insultados

ameaçados

enquanto cidadãos com direitos e deveres

porquanto ausentes do debate nacional

porquanto calculistas e objectivos

no que lhes interessa e compensa

considerando-se sempre elites

só falam e demonstram amor à Pátria e ao Povo

quando estão no poder e têm visibilidade

a Guiné para eles é só quando estão no poder

mas o povo que até gosta e dá corpo ao manifesto

já começa a desgostar de suas graças

         Fernando Casimiro (Didinho) 23.01.2016

 

3 Responses to Poema: O que fazem pela Guiné-Bissau?

  1. ABUBACAR QUEITA diz:

    OBRIGADO O IRMAO DEFATO GOSTO DA POEMA E ADOROـO ASSIM GUINEE BISSAU E MELHORE NO MUNDO.
    PORTANTO E UMA LICAO PARA TODO(DE PAPA ATE O FILHO)
    O sucesso não é fracasso final não é fatal.
    TEMPO dado a outros NINHO nunca perdeu.
    Sonho pode ter lugar se estamos trabalhando juntos.

  2. carlos dos reis diz:

    Gosto bastante deste poema, coragem no seu dia a dia

  3. Edson Carlos Costa diz:

    Com 17 anos de idade
    Cada vez mais longe do meus pais
    A minha mente consente
    e o meu peito sente

    De bissau eu sou descendente
    mas o sofrimento do meu povo
    nao me deixa contente
    mesmo sabendo que alguns estao sorridente

    A pobreza domina
    a sujidade contamina
    hospitais e escola sem qualidade
    o que sera da nossa cidade?

    Vejo e choro
    mas nada posso fazer
    sou um jovem, mas ainda vou crescer
    e a guine vou ver a erguer

Responder a carlos dos reis Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.