Os “Djurtus” na Perspectiva de uma “Guiné-Bissau Possível” – Comentário

Pela primeira vez na história, a Guiné-Bissau fará parte das 15 equipas que estarão no Gabão para o Campeonato Africano das Nações (CAN) de 2017, entre as 52 selecções da Confederação Africana de Futebol (CAF). O apuramento da selecção nacional de futebol da Guiné-Bissau para esta grande festa africana de futebol representa um grande momento para toda a nação guineense.

Por Umaro Djau | Editor, GBissau

A Guiné-Bissau vive, de facto, um momento de grande orgulho nacional, apesar de graves problemas políticos e sociais que têm assolado o país desde os primórdios da sua independência nacional.

As vitórias consecutivas dos “Djurtus” nos últimos três jogos (contra todas as previsões e expectativas) representam o epíteto do profissionalismo, de amor à pátria e de incontestável dedicação ao povo da Guiné-Bissau.

Celebração do apuramento da Guiné-Bissau para o torneio CAN 2017

Celebração do apuramento da Guiné-Bissau para o torneio CAN 2017 | Foto: Braima Daramé

Lembro-me pois de tremendos problemas logísticos com que os jogadores nacionais se depararam ao longo dos últimos doze meses. Lembro-me das longas viagens de volta ao mundo antes de chegarem ao destino para depois confrontarem os adversários, cansados e desgastados, mas determinados. E lembro-me dos momentos em que o patriotismo falou mais alto, mesmo quando muitas promessas não foram cumpridas por parte das autoridades nacionais. Mas, estou consciente de não ser capaz de descrever de uma forma cabal e justa todas as dificuldades consentidas durante esta árdua jornada rumo ao Gabão: reconciliar obrigações profissionais com tantas outras, incluindo familiares.

Também não podemos ignorar o facto de muitos jogadores terem riscado as suas carreiras internacionais, juntando-se à selecção nacional da Guiné-Bissau em vários torneios internacionais e outras ocasiões. Lembro-me, por exemplo, de Banjai Indjai, o actual jogador do Leixões Sport Club que quase perdeu tudo durante a sua prestação com os “Djurtus” na partida contra a República Centro Africana em Maio de 2014. Como Banjai, há muitos outros jogadores que quase perderam tudo quando se juntaram à turma nacional (no decorrer da nossa história futebolística) para elevar o nosso futebol e dignificar a nação guineense. Mas, na verdade, é este o custo do patriotismo e da cidadania. Seria injusto se não nos lembrássemos de tantos filhos da Guiné-Bissau que têm arriscado as suas vidas e carreiras em diferentes áreas de intervenção, para não falar doutros filhos da Guiné e de Cabo Verde que arriscaram e deram as suas vidas para que os dois países se tornassem em nações livres e independentes.

Celebração do apuramento da Guiné-Bissau para o torneio CAN 2017 - PR José Mário Vaz

Celebração do apuramento da Guiné-Bissau para o torneio CAN 2017 – PR José Mário Vaz | Foto: Braima Daramé

No entanto, hoje, o mais importante é perspectivarmos o significado deste apuramento da selecção nacional de futebol da Guiné-Bissau para a 31.ª edição do CAN 2017, apesar de todas as adversidades financeiras, técnicas, administrativas e logísticas. Assim, podemos facilmente concluir que só com dedicação e um trabalho sério e árduo podemos produzir resultados aceitáveis e desejáveis. À Guiné-Bissau nunca faltou jogadores com grandes talentos e dedicação à pátria, mas talvez nos tivesse faltado um pouco de sorte e uma total confiança nos “valores” nacionais, ou seja, nos nossos próprios recursos humanos.

Só rezo para que Deus esteja connosco durante a próxima fase deste grande desafio futebolístico nacional. Se hoje os “Djurtus” constituem um grande motivo da nossa alegria e do nosso orgulho nacional, também rezo para que sejam uma inspiração para toda a nação guineense e, sobretudo, para a classe política nacional. Independentemente das convicções políticas e partidárias de cada cidadão nacional, a Guiné-Bissau será sempre mais forte quando somos (ou formos) capazes de trabalhar juntos para um objectivo comum, seja ele o CAN 2017 ou um outro maior que vise o desenvolvimento cultural, desportivo, social ou económico do país.

Seja como for, creio que ainda é possível construirmos uma Guiné-Bissau digna, orgulhosa e respeitada se aceitarmos trabalhar como uma verdadeira equipa nacional à imagem dos “Djurtus”.

Celebração do apuramento da Guiné-Bissau para o torneio CAN 2017 | Foto: Braima Daramé

Celebração do apuramento da Guiné-Bissau para o torneio CAN 2017 | Foto: Braima Daramé

 

10 Responses to Os “Djurtus” na Perspectiva de uma “Guiné-Bissau Possível” – Comentário

  1. uar diz:

    Em poucas palavras coragem meus irmoes sei que vamos chegar o topo

  2. salim said diz:

    SE VIRARMOS TODA A ENERGIA E CORRAGEM QUE TEMOS COMO GENTE, EM CRIAR PROBLEMAS E FAZER GUERRAS PARA UMA BOA PRATICA DESPORTIVA, CERTAMENTE PODEMOS TORNAR NUM DOS MELHORES DO NOSSO CONTINENTE!!!
    SER PEQUENO NAO EH SINONIMO DE INCAPACIDADE.
    O PRIMEIRO PAIS VENCEDOR DO MUNDIAL SO TEM 3 MILHOES DE HABITANTES!!!!!
    YO ALLAH WALU HEN
    SALIU SEIDI

  3. Demba Umaro Embaló diz:

    Viiiiiivaaaaa! DJURTUS “RAÇA TCHEBEN” Orgulho Nacional, assim confirmarmos a nossa Presença no CAN2017-GABÃO pela primeira vez na história pois, considero a 2ª independência Nacional…

    • Joe Bissil diz:

      irmao Demba, muito bem partilho teu orgulho pela nossa Selecao Nacional de Futebol. Mas nao te esquecas, que é apenas desporto ou alias um ramo de desporto como a natacao, tenis, atletismo, ciclismo, e tantos outros desportos. Mas dizer que é sekunda Indepedencia Nacional ? É exagerado demais. Seria fazer dos nossos heróis nacionais, que se sacrificaram pela nossa Indepedencia Nacional, conquistada com sangue. Portanto, cuidado com estes simbolos. Bem hajas irmao. JB

  4. Nico diz:

    Obrigado equipa técnica e jogadores. A única equipa que eu tenho no mundo é djurtus, não sou benfiquista nem portista, mas sou adepto de djurtus de corpo e alma, mesmo perdendo ou ganhando… sou djurtus.

  5. Boas para todos Guinness djurtu non djunta cubo bo Dano Legria para nos Guinness no pidi deus padano mais legria na tasa Afrique boa sorti para cupa africa muito obrigados guine bissau so eu djamanca Abdoulaye na qui tempo eu tava na Congo Brazzaville forsa para nos Bissau merci j’taime Bissau bisou Bissau 1ne ensemble bey maman guine sui de sintchan dembell sonaco estudanti arabe il este a Sénégal pour footbell Joux Dan un ecupe de senloui dioubo dare pikin numéro 4 gos j pes 60 kilo taie 1metr 80 j fai le export jousqa le heur ici o Congo mon num 00242064074261 Facebook Adriano alvis purtugues

  6. Abel diz:

    Uma boa analise da situaçao.Obrigado Umaro. Um dos raros Websites que nao esta vinculado a nenhum patido ou grupo. Um jornalismo profissional e de isençao absoluta. Continue assim. VIVA OS DJURTUS. VIVA A GUINE-BISSAU

  7. Malgré toutes les difficultés que traverse notre pays l’équipe nationale vient de se qualifier. Je pense que ceci est un signal fort pour la paix sociale et la stabilité pour notre pays pour avancer tous unis derrière les DJURTUS pour la victoire final c’est-à-dire gagner la coupe…

  8. Saido Dansó diz:

    FORZA DJURTUS CORAGEM,,, CONFIO QUE IREMOS LONGE, TEMOS JOGADORES PARA TAL.

  9. demba diz:

    Muito obrigado é uma alegria para o povo Guînesses !….!.!!!…

Responder a Demba Umaro Embaló Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.