Umaro Sissoco empossado como primeiro-ministro da Guiné-Bissau

Umaro Sissoco foi ontem empossado pelo Presidente da República da Guiné-Bissau como primeiro-ministro do país, numa cerimónia sem discursos, no Palácio da Presidência, em Bissau.

Confrontado pelos jornalistas à saída, Umaro Sissoco remeteu declarações para a posse do governo que ainda não tem data marcada.

José Mário Vaz, Presidente da Guiné-Bissau, empossou o novo primeiro-ministro pelas 19:15, mesma hora em Lisboa.

A cerimónia decorreu cerca de duas horas depois de o decreto de nomeação ter sido anunciado na Rádio Difusão Nacional da Guiné-Bissau.

Decreto Presidencial: Decreto Presidencial 10/2016 – Nomeação de Umaro el Mokhtar Sissoko Embaló

Umaro Sissoco, 44 anos, general na reserva das Forças Armadas guineenses, vai liderar o quinto governo da legislatura iniciada em 2014 e que desde há um ano está marcada por forte instabilidade política.

A sua nomeação surge depois de os dirigentes guineenses terem assinado em outubro o Acordo de Conacri, um entendimento que prevê a criação de um governo com todos os partidos do parlamento para durar até ao final da legislatura.

O acordo foi alcançado sob mediação da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO).

O nome de Umaro Sissoco foi escolhido pelo Presidente da República guineense depois de ter falhado o consenso entre os partidos para a escolha de um novo primeiro-ministro, já após a assinatura do entendimento em Conacri.

O Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), que venceu as eleições de 2014 com maioria absoluta, defendia outro nome proposto pelo chefe de Estado durante as negociações, o de Augusto Olivais, dirigente daquela força política.

A direção do PAIGC esteve ausente da cerimónia de posse do novo primeiro-ministro ao passo que Alberto Nambeia, líder do segundo partido mais votado, Partido da Renovação Social (PRS), marcou presença e felicitou Umaro Sissoco.

Entretando, o PAIGC, vencedor das eleições gerais de 2014 na Guiné-Bissau, anunciou que está contra a decisão do Presidente do país em nomear Umaro Sissoco Embaló como primeiro-ministro, facto que encara como sinal da implantação de uma ditadura.

“O PAIGC convida a CEDEAO e toda a comunidade internacional a continuarem a acompanhar o povo guineense nesta luta pela defesa das conquistas democráticas e da liberdade, opondo-se frontalmente aos sinais evidentes de implantação da ditadura na Guiné-Bissau”, lê-se no comunicado da Comissão Permanente do Bureau Político, assinado por Domingos Simões Pereira, presidente do partido.

O Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) “demarca-se desta decisão” do Presidente, José Mário Vaz, “responsabilizando-o por todas as consequências daí decorrentes e manifesta a sua firme e inabalável determinação em continuar a luta pela afirmação do Estado de direito democrático”.

3 Responses to Umaro Sissoco empossado como primeiro-ministro da Guiné-Bissau

  1. Aliu Seidi diz:

    Trata-se de uma decisão possível neste momento, uma vez o Presidente da Republica nunca iria encontrar uma figura que todas as forças politicas representadas no parlamento iriam concordar. Agora é só trabalho.

  2. anacondepinho diz:

    Felicidades Sr Presidente da Republica.
    Enf Am Portugal

  3. Marceano António Mendes diz:

    É muita pena que vossa informação noticiosa chegam sempre atrasada, além disso,não dam resposta a ninguém!…

    Muito obg.

    Marceano Mendes

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.


Fatal error: Call to undefined function get_HitsMechanic() in /home/afrowa6/public_html/gbissau.com/wp-content/themes/NewsMagazine/post-single.php on line 48