GRUPO DOS 18: Detenção do Manuel dos Santos “Manecas”

Coronel Manuel dos Santos (Manecas) | Foto: Ditadura do Consenso
  • GRUPO DOS 18: COMUNICADO À IMPRENSA

COMUNICADO (Bissau, 21 de Junho de 2017) – O denominado Grupo dos 18 Partidos sem assento Parlamentar, UPG, UNDP, FD, PDG, UDS, LIPE, FLING, PRP, PPD, PP, PADEC, CD, PDS,  ao tomar conhecimento do comunicado do PAICV, relativo à detenção do Sr. Manuel dos Santos, vulgo Manecas dos Santos, que classificamos de clara e manifesta ingerência nos assuntos internos da Guiné Bissau, vem assim posicionar-se publicamente:

É com bastante  estranheza que assistimos um volte face do PAICV, porque enquanto poder em Cabo Verde por diversas vezes recusou comentar públicamente as decisões da Justiça Caboverdiana, sabendo inclusivé que esse posicionamento poria em causa os direitos fundamentais dos cidadãos Caboverdianos, o porquê se insurgir agora contra uma decisão da Justiça Guineense, sem conhecer os seus contornos processuais e ainda sem nenhuma legitimidade para o efeito?

O Lendário e o maior Comandante e Combatente da Liberdade da Pátria da Guiné Bissau e de Cabo Verde [João Bernardo Vieira], foi barbaramente assassinado na sua residência e em pleno exercício constitucional das suas funções como o mais alto Magistrado da Nação Guineense, bem como outros altos dirigentes e igualmente lendários Comandantes Guineenses, que contribuíram de forma decisiva e com o sacríficio consentido, muitos dando a sua vida para a libertação de Cabo Verde e restauração da idêntidade e dignidade Caboverdiana, e em momento nenhum o PAICV manifestou a sua condenação face a estes actos criminosos de colegas combatentes à quem devia e devem muita gratidão e inclusivé o facto de hoje perfilarem junto das Nações livres e soberanas no Mundo. Mas,  nunca vimos o PAICV reclamar pela realização da Justiça perante estes actos criminosos.

O PAICV considera a declaração do cidadão Manecas dos Santos como apenas uma opinião, descurando no entanto, que a referida opinião emana um convite deliberado à violência e à alteração da ordem Constitucional na Guiné Bissau.  Será que em Cabo Verde a referida declaração seria plausível para o PAICV e não constituíria um delíto criminal?

Neste sentido, vimos aconselhar o PAICV que assuma uma postura de maior idoneidade e se restrinja aos problemas exclusivamente de Cabo Verde, que não foi capaz de resolver ou encontrar soluções credivéis, motivo pelo qual se encontra na oposição e abster-se o mais possivel, daquilo que compete aos Guineenses, porque estes fazem o seu percurso na resolução dos seus problemas e de outros, como por exemplo no que concerne a independência e a soberania de alguns Povos, onde em relação ao Sr. Manecas dos Santos, não obstante ser este originário de Cabo verde, é a Guiné Bissau a sua segunda Pátria de adopção que lhe assegura a  sobrevivência e os seus rendimentos na condição de Combatente da Liberdade da Pátria, onde reside e vive, sendo que a dimensão das palavras por ele proferidas, em tudo não deveriam resultar em incitação à sublevação da ordem Soberana.

Para terminar, exaltamos a posição competente e equidistante do actual Governo Caboverdiano sobre este assunto que interessa exclusivamente aos Guineenses.

Bissau, 21 de Junho de 2017

O Coordenador

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.


Fatal error: Call to undefined function get_HitsMechanic() in /home/afrowa6/public_html/gbissau.com/wp-content/themes/NewsMagazine/post-single.php on line 48