Mulheres guineenses pedem criminalização do assédio sexual

Bissau, 9 Março de 2018 (Euronews) – “É urgente que a legislação dê uma mensagem de que há comportamentos que não são aceitáveis”, declarou a presidente da Rede Nacional de Jovens Mulheres Líderes da Guiné-Bissau.
A Rede Nacional de Jovens Mulheres Líderes da Guiné-Bissau pediu, esta quinta-feira, ao parlamento do país para criminalizar o assédio sexual.
“É importante e urgente que a legislação guineense dê uma mensagem de que há comportamentos que não são aceitáveis, mas não é só a criminalização que resolve. São precisas medidas de educação e proteção da vítima”, afirmou Fatumata Sane, presidente daquela associação.
Para Sane, é preciso também acabar com os abusos focados na mutilação genital feminina, casamento infantil e violência doméstica. “Este é o momento de parar de punir as mulheres pela sua sexualidade” e ensinar os homens a deixarem de se sentir ameaçados “pela presença do sucesso das mulheres”, declarou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.