PR da Guiné-Bissau fixa preço do quilograma de caju a 1000 francos CFA, ou seja 1,5 euros

Caju

Bissau, 24 de Março de 2018 (Lusa) – O Presidente da Guiné-Bissau, José Mário Vaz, fixou hoje o preço da compra da castanha do caju em mil francos CFA por quilograma e pediu que o dinheiro fique no país nos bolsos dos produtores.

José Mário Vaz abriu hoje, na cidade de Gabu, a 200 quilómetros a leste de Bissau, a abertura oficial da campanha que deve decorrer até ao mês de setembro, esperando-se a compra de 200 mil toneladas de caju aos agricultores. 

“Significa que este ano, de 2018, os nossos produtores ou agricultores vão arrecadar qualquer coisa como 200 mil milhões, é muito dinheiro. Mas é bem-vindo para o bolso dos donos das hortas”, declarou o líder guineense.

José Mário Vaz disse ter decidido avançar com o preço de 1000 francos CFA (cerca de 1,5 euro) por cada quilograma do caju no produtor, a pedido de régulos (autoridades tradicionais) e da população em geral.

Entretanto, o uso do caju como fonte de vitamina C foi um dos apelos hoje feitos por Mário Mendonça, especialista guineense ligado ao setor, que lamentou a falta de consumo daquele produto pela população.

Especialista do setor do caju, ligado aos vários projetos como consultor e ultimamente afeto a uma iniciativa financiada pelo Banco Mundial para melhoria da produção do produto, Mário Mendonça vê o caju “em várias vertentes pouco aproveitadas” na Guiné-Bissau.

Atualmente, a Guiné-Bissau produz cerca de 300 mil toneladas anuais e mais de metade é exportada principalmente para a Índia, mas para Mário Mendonça o país “devia incentivar mais” o consumo do caju dadas as suas propriedades alimentares.

No dia em que a Guiné-Bissau conseguir retirar mais do que o sumo e a castanha do caju, não só estará a combater a fome, a aumentar postos de emprego, a ter mais receitas públicas, a criar hábitos de trabalho e ainda a combater a desertificação já que o produto se adapta a zonas áridas, considerou Mário Mendonça.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.