Sissoko Embaló pede aos padres e imames para ficarem fora do jogo político

Bissau, 22 de Maio de 2018 (E-Global) – O antigo Primeiro-ministro guineense, Umaro El Mokhtar Sissoko Embaló, exortou os líderes religiosos – padres e imames – a se “absterem de fazer a política ativa” e aconselhou também, aos políticos a deixarem os líderes religiosos fazer o seu trabalho de pregar a palavra de Deus nas mesquitas e igrejas.

Sissoko Embaló, que agora é vice-presidente do Fundo Soberano de Brunei e Conselheiro do Sultão, título do chefe de Estado daquele país asiático, dirigido sob o regime de monarquia, para África e Médio Oriente, falou aos jornalistas no dia 20 de maio, no Aeroporto Internacional “Osvaldo Vieira” em Bissau, antes da sua partida para a capital francesa, Paris.

Ele fez assim alusão a um eventual “envolvimento” de líderes religiosos no processo das negociações que resultou no acordo de Lomé, capital do Togo, entre as duas maiores forças políticas do país, o PAIGC e o PRS, que viabilizou a formação do atual Governo.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.