Bastonário de advogados da Guiné-Bissau acusa magistrados de “venderem” despachos

Basílio Sanca, Bastonário da Ordem dos Advogados da Guiné-Bissau

Bissau, 26 de Junho de 2018 (O Democrata) – O bastonário da ordem dos advogados da Guiné-Bissau, Basílio Sanca, queixou-se hoje de um alegado esquema de “venda de despachos” por magistrados do Ministério Público e acusou os tribunais de aniquilarem a realização da justiça no país.

Basílio Sanca fez estas denúncias na abertura de um seminário de formação e vulgarização do direito e da justiça comunitária promovido pela UEMOA (União Económica de Estados da África Ocidental) que hoje teve início em Bissau e que termina quinta-feira.

O seminário destina-se aos juízes, magistrados e polícias guineenses.

Na sua intervenção, o bastonário dos advogados da Guiné-Bissau afirmou que «a investigação judicial desapareceu» no Ministério Público, «dando lugar à venda dos despachos» por parte de magistrados, sem, no entanto, apontar casos concretos.

“Nos tribunais a investigação deu lugar à aniquilação dos direitos, através de esquemas de concertação em todas as instâncias até ao topo”, defendeu Basílio Sanca.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.