UNTG inicia terceira ronda de greve

União Nacional dos Trabalhadores da Guiné-Bissau (UNTG)

Bissau, 26 de Junho de 2018 (Rádio Sol Mansi) –  A União Nacional dos Trabalhadores da Guiné (UNTG) – maior central sindical do país – iniciou, na madrugada desta terça-feira (26), mais uma greve geral na administração pública guineense. Esta é a terceira ronda da greve.

Os sindicalistas exigem, entre outros, o reajuste salarial dos funcionários Públicos da Guiné-Bissau. 

Numa entrevista exclusiva á Rádio Sol Mansi (RSM), José Alves Té, porta-voz da comissão negocial, diz que a greve começou às 00 horas e os serviços mínimos serão prestados “como tem acontecido nas duas últimas ondas de greve”.

“Orientamos os sindicatos de que devem observar os serviços mínimos. Nós somos cientes e sabemos o que é a greve de maneira que vamos sempre cumprir a lei”, promete.

José Alves Té diz que a greve vai continuar até que as suas vozes sejam ouvidas e, no entanto, os trabalhadores públicos não acreditam nas conversas do chefe do executivo “que continua a nomear pessoas com funções equiparadas aos secretários de Estado e dos ministros”.

“Continuamos determinados porque sabemos que a conversa que a missão do governo é só realizar as eleições mas a realização das eleições é a responsabilidade do governo. Se só a realização das eleições, então o governo deverá fazer contenções relativamente a nomeações mas se continuar com nomeação e mais negociações equiparadas a secretários de Estado e Ministro (…) perguntamos será que, de facto, este governo quer só realizar as eleições e os funcionários públicos é que devem continuar a sofrer”, interroga.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.