Arquivos do etiqueta: Fernando Casimiro (Didinho)

Poema: O que fazem pela Guiné-Bissau?

Perguntei o que fizeram

o que fazem pela Guiné-Bissau

pelo Povo Guineense

quando não estão no poder

não há resposta

ou há resposta

depende da perspectiva

Opinião: Em Defesa da Segurança e, da Verdade…!

Escrevo, não escrevo; publico, não publico, decido finalmente partilhar a revolta que vai em mim, sobre mais um tema directamente relacionado com a Guiné-Bissau, minha Terra, meu umbigo…, mas também, relacionado com questões de interesse global, não fosse a segurança, preocupação maior de Estados e cidadãos à escala planetária, perante ocorrências a que ninguém pode ficar indiferente de tantas marcas e mágoas deixadas em todos nós, humanos, cidadãos deste mundo que é de todos e no qual, independentemente do país, um acto terrorista pode vitimar cidadãos de diversos países, pondo todo o mundo, deste mundo, de luto; em sofrimento, em revolta, sendo que, fica sempre sem resposta a eterna questão, que, globalmente falando e no idioma de William Shakespeare, se resume a três letras… why?

Por Fernando Casimiro (Didinho) | didinhocasimiro@gmail.com

Opinião: BOTCHE CANDÉ

 BOTCHE CANDÉ

Das reportagens da campanha eleitoral que tenho acompanhado através da Televisão Nacional da Guiné-Bissau, chego a questionar se o candidato presidencial é realmente Carlos Gomes Jr. ou o ministro Botche Candé… Didinho 16.03.2012

Fernando Casimiro (Didinho)

didinhocasimiro@gmail.com

25.06.2013

O jornalista Umaro Djau, no seu artigo O Cinismo e as Ambiguidades dos “futuros arrependidos” trouxe à ribalta questões que se prendem com o interesse colectivo, por isso, merecedoras de um debate generalizado e participativo, sobre os diversos pontos de abordagem focados no referido texto,  pontos esses, centrados numa única causa, a Guiné-Bissau!

No que me toca opinar, congratulo-me com a reflexão de Umaro Djau e fico triste por constatar que pessoas formadas deturpam completamente o teor de um texto, no qual, o autor jamais se posicionou a favor da promoção dos menos habilitados ao desempenho de cargos públicos, como também não se posicionou, em nenhuma passagem do seu artigo, a favor do abate ilegal de árvores na Guiné-Bissau!