Arquivos do etiqueta: Guine Bissau

Conselho de Ministros da Guiné-Bissau rescinde acordo de resgate aos dois bancos 

GBissau (Bissau, 17 de Junho de 2016) – Na sua segunda reunião, esta sexta-feira, o Conselho de Ministros da Guiné-Bissau decidiu rescindir o acordo de resgate aos dois bancos comerciais privados estimado em 34 bilhões de CFAs.

A decisão de executivo de Baciro Djá afigura-se como a primeira resposta às preocupações do Fundo Monetário Internacional (FMI) que recentemente anunciou a possibilidade do cancelamento de apoios à Guiné-Bissau, caso a situação não fosse revertida. 

Sede do Partido Africano da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) em Bissau

EXCLUSIVO: PAIGC Desiste do seu Pedido de Indeferimento do Acórdão nº 1/2015 

GBissau (Bissau, 8 de Junho de 2016) – No dia em que o Supremo Tribunal da Justiça (STJ) da Guiné-Bissau devia publicar mais um acórdão em resposta ao pedido Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde sobre o cumprimento do Acórdão nº 1/2015, o PAIGC fez entrar esta tarde mais um outro pedido, desta vez desistindo-se da sua acção anterior. 

Sede do PAIGC em Bissau

STJ Indefere Pedido do PAIGC Sobre Cumprimento do Acórdão do nº 1/2015 – Fontes

GBissau (Bissau, 8 de Junho de 2016) – Com um voto de 7 contra 4, O Supremo Tribunal da Justiça (STJ) da Guiné-Bissau já indeferiu em plenário o requerimento do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) que pedia para instar o Presidente da República a cumprir o Acórdão nº 1/2015 da Suprema Corte.

o Acórdão do nº 1/2015 tinha declarado inconstitucional a primeira nomeação de Baciro Djá para o cargo do primeiro-ministro da Guiné-Bissau.

Dr. Fernando Delfim da Silva

Entrevista: Delfim da Silva defende Status quo ante e inclusão calibrada

“No passado, bateram palmas aos fuzilamentos acordados por um tribunal militar; hoje batem palmas à expulsão de camaradas decidida por acórdão de um tribunal partidário; ontem, ficaram todos caladinhos perante assassinatos de camaradas em nome (sempre) de uma estabilidade perversa. A nossa memória é mesmo muito curta” – Fernando Delfim da Silva

 

Diário de Bissau: O que pensa desta crise que grassa no PAIGC? 

Fernando Delfim da Silva: É mais uma desgraça política que se está a configurar. Só falta saber a dimensão das suas consequências – dentro e fora do PAIGC. Mas para quem realmente viveu a história do PAIGC, esta crise é apenas “mais uma” crise, mas não no sentido fraco do termo, como se fosse uma pequena constipação que “juridicamente” se vai curar, voltando tudo à normalidade como se, antes, nada tivesse acontecido. É mais uma crise, sim, mas não é propriamente uma crise passageira. Ela é cumulativa. 

Comunicado: PM Carlos Correia recebe Miguel Trovoada da ONU

(Gabinete do Primeiro-Ministro, 15 de Janeiro de 2016) – Sua Excelência, o Primeiro-ministro, Sr. Carlos Correia, assistido pelo Conselheiro para a área da Defesa, Sr. Luís Melo, recebeu em audiência, o Representante Especial  do Secretário-geral da ONU na Guiné-Bissau, Sua Excelência, Sr. Miguel Trovoada.

O objectivo do encontro foi para desejar ao Chefe do Governo um bom Ano Novo e face a situação política, manifestar toda à disponibilidade das Nações Unidas, em ajudar a Guiné-Bissau.

Ex-PR Obasanjo, da Nigéria, tenta uma vez mais mediar crise política

Bissau, 09 out (Lusa) – O antigo Presidente da Nigéria, Olusegun Obasanjo, mediador da Comunidade Económica de Estados da África Ocidental (CEDEAO) para a crise na Guiné-Bissau, voltou esta sexta-feira ao país para tentar resolver o conflito político.

“Voltei porque parece que o problema que vim resolver da outra vez não está solucionado. Vim resolver este impasse”, afirmou Obasanjo aos jornalistas no Aeroporto Internacional de Bissau.

PR rejeita lista e orgânica do Governo de Carlos Correia – Nota de Imprensa 

Bissau (GBissau, 6 de Outubro de 2015) – A Presidência da República da Guiné-Bissau enviou, esta terça-feira, uma carta ao Primeiro-Ministro Carlos Correia, na qual pede a reformulação das propostas “quer da estrutura orgânica do Governo, quer do elenco governamental” apresentadas a semana passada ao Chefe de Estado.

A nota assinada pelo porta-voz de José Mário exprime a sua estranheza quanto à inclusão do nome do ex-primeiro-ministro na proposta do novo elenco governamental. A Presidência da República chama atenção para a necessidade “de ter em conta os fundamentos da demissão do Governo” de Domingos Simões Pereira.

Escolha do Primeiro-Ministro: PR José Mário Vaz faz consultas partidárias 

Bissau (GBissau, 16 de Setembro de 2015) – No quadro das suas consultas para a escolha de um novo primeiro-ministro, o Presidente da República da Guiné-Bissau manteve, esta quarta-feira, vários encontros em separado com os líderes dos partidos políticos com assentos parlamentares.

A primeira audiência de José Mário Vaz foi com o Presidente do Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), Domingos Simões Pereira, cuja demissão no passado 12 de Agosto mergulhou o país numa grave crise político-institucional.

Crise Política: Reacções dos países e organizações

MNE moçambicano muito preocupado com a situação política   

O ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação de Moçambique, Oldemiro Baloi, manifestou-se no fim de semana muito preocupado com a situação na Guiné-Bissau, imputando ao ego dos políticos guineenses a responsabilidade pela crise.

Academia Ubuntu, Guiné-Bissau

A Academia Ubuntu Guiné-Bissau é um projeto de capacitação de jovens com elevado potencial de liderança, ativos em organizações da sociedade civil, com o objetivo que possam vir a desenvolver projetos de empreendedorismo social ao serviço da comunidade.

Trata-se de um programa formativo de intervenção estruturado em dois eixos, o primeiro centrado no desenvolvimento de competências de liderança dos jovens participantes e nos seus projetos de vida, e o segundo na capacitação para a elaboração e implementação de projetos de empreendedorismo social.

Seguindo uma metodologia de educação não-formal, a Academia proporcionará aos participantes, pelo menos 15 seminários temáticos (com a duração de um dia e dois fins-de-semana residenciais), em regime semanal.

Numa primeira fase, os seminários estarão focados na liderança e nos projetos de vida dos participantes e, na fase seguinte, na elaboração de projetos de empreendedorismo social (os participantes organizar-se-ão em pequenos grupos) que coloquem em prática o espírito Ubuntu.

Os seminários sobre liderança abordarão líderes de referência com uma visão Ubuntu, como Nelson Mandela, Martin Luther King, Desmond Tutu, Mahatma Gandhi, Aung San Suu Kyi e Amílcar Cabral, e factos históricos/relevantes como as Comissões Verdade e Reconciliação.

Num outro registo, serão abordados temas como gestão de projetos, comunicação, negociação/mediação, gestão financeira, entre outros. Filmes, workshops, conferências e visitas, serão utilizadas como ferramentas.

A Academia encerrará cada uma destas fases com duas conferências, abertas ao público. A primeira para apresentação das “Vidas Ubuntu” e a segunda para apresentação dos projetos desenvolvidos.

Para mais informações, carregue no seguinte link: Academia Ubuntu, Guiné-Bissau

Opinião: A Festa das Eleições, o Sonho e a Esperança do guineense

Na minha opinião, quem confia no voto popular e na democracia, não procura o aval e a estima do homem em uniforme. O que se deve procurar é o aval e a estima de todo um povo. O que se deve procurar é o respeito mútuo e a separação de poderes. Mas, esta “intenção” tem que vir do homem de fato e da gravata. Compete-lhe assumir o papel da liderança e “combater” a tentação da dependência ao poder militar. Aliás, quem muito depende da “estima” militar para conquistar o poder político, muito dependerá dessa mesma estima para continuar no “trono”.

Bandeira da Guiné-Bissau

Eleições 2014: 21 candidatos às presidenciais e 22 partidos às legislativas

  • São 22 partidos concorrentes às legislativas e 21 candidatos às presidenciais

Por Seco Baldé Vieira, em Bissau

Bissau (GBissau, 5 de Março de 2014) – Terminou hoje, 5 do mês em curso, o prazo limite para a entrega de candidaturas às eleições legislativas e presidenciais de 13 de Abril.

Este prazo limite tinha sido estabelecido por um decreto assinado pelo Presidente da República de Transição, Manuel Serifo Nhamajo.

No total são 21 candidatos às presidenciais e 22 partidos às legislativas.

Guiné-Bissau, em parceria com países da subregião, quer reforçar capacidades internas para prevenir, controlar e eliminar a pesca ilegal

Bissau (Rádio Difusão Naciona-RDN, 19 de Novembro de 2013) – A Guiné-Bissau, em parceria com os países da subregião, pretende reforçar suas capacidades internas para prevenir, controlar e eliminar a pesca ilegal não declarada e não regulamentada nas suas águas territoriais.

Para o efeito, trinta técnicos ligados ao setor pesqueiro participam a partir desta terça-feira, em Bissau, num ateliê sobre o guião operacional que facilite a implementação do acordo sobre as medidas portuárias.

O ministro das Pescas nas esteve presente na cerimónia de abertura do ateliê.

Guiné-Bissau: Eleições marcadas para o dia 24 de Novembro de 2013

Decreto Presidencial Nº 07/13 

Considerando a nova conjuntura fruto da Revisão da Acordo Político e do Pacto de Transição, Resolução n.1/PL/ANP/2013, que permitiram a remodelação do Governo de Transição, tornando-o ainda mais inclusivo.

Atendendo ainda que a dinâmica do processo de Transição impõe como horizonte as eleições gerais no País de modo a permitir o pronunciamento e escolha directa do povo guineense dos seus representantes nos órgãos de soberania.

Efectivos da polícia guineense retidos em Luanda com data de regresso a Bissau

Luanda (GBissau.com; Rádio Sol Mansi-RSM  & Novo Jornal de Angola (Nisa Mendes) , 11 de Outubro de 2012) – Os cerca de 350 agentes policiais que fizeram a sua formação em Angola podem regressar à Guiné-Bissau até este Domingo. Esta garantia foi dada pelas autoridades angolanas qu, aliás, disponibiizaram dois vóos para o efeito.

O regresso deste contingente de cerca de 350 agentes policiais ao país ficou bloqueado há mais de três meses.

Esta quinta-feira, o governo, através do ministro da presidência do conselho de ministros e porta-voz do governo, Fernando Vaz confirmou a notícia, não tendo, todavia, avançado com a data de regresso desse contingente.

Mas antes, foi necessária uma greve de fome levada a cabo desde 1 de Outubro, por parte dos policiais guineenses,comoforma de pressionar as autoridades angolanas e guineenses.