Arquivos do etiqueta: Ministro da presidência do conselho de ministros diz que carta de transição respeita acordos assumidos pelo governo da Guiné-Bissau

Ministro Fernando Vaz: “respeitamos todos os acordos assumidos pelo governo da Guiné-Bissau”

Fernando Vaz, ministro da presidência do conselho de ministros, de assuntos parlamentares e porta-voz do governo

Fernando Vaz, ministro da presidência do conselho de ministros, de assuntos parlamentares e porta-voz do governo

Bissau – O ministro da presidência do conselho de ministros, de assuntos parlamentares e porta-voz do governo, disse quinta-feira em Bissau, que a carta de transição em vigor no país, respeita todos os acordos assumidos pelo governo da Guiné-Bissau.

Fernando Vaz fez esta afirmação numa clara alusão à suspensão do acordo da cooperação militar entre a Guiné-Bissau e Angola, que pode estar na origem da paralisação de várias ações em curso no país.

De acordo com o ministro, a suspensão do acordo de cooperação com a Angola não abrange aquilo que está no acordo rubricado entre as partes.

“Eu não sei se a suspensão do acordo de cooperação entre a Guiné-Bissau e Angola abrange o que está em curso. Nós, governo de transição, carta de transição, respeitamos todos os acordos assumidos pelo governo da Guiné-Bissau. Portanto, damos continuidade a tudo o que eram compromissos do estado da Guiné-Bissau”, afirmou.

“Nós entendemos que a Angola nessa linha deverá também dar continuidade aos compromissos que assumiu com a Guiné-Bissau”, acrescentou.

Pergunta: “Caso não fôr assim?”
Resposta: “Nós analisaremos na altura o posicionamento angolano e a Guiné-Bissau irá posicionar-se também”.

Fernando Vaz disse que o atual governo herdou do executivo deposto as dívidas em atraso dos professores contratados, de novo ingresso, reintegrados e doentes, e que o assunto está a ser tratado pelo ministro das finanças.

“A questão dos professores contratados e de novo ingresso está a ser tratada pelo ministro das finanças. Encontraremos, com certeza, uma solução o mais rapidamente possível”, apontou.

Fonte: RSM